sexta-feira, 29 de julho de 2011

EDUCAÇÃO CONTROLE REMOTO


 A EDUCAÇÃO PALIATIVA DO MARANHÃO


A matéria a seguir foi extraída do Blog do amigo Hugo Freitas, mas para quem já vive em São Luís há tempos escutando essa história de “educação revolucionária”, cabe um grifo nosso.

Este tipo de programa aparenta os moldes do antigo TeleEnsino, que surgiu como uma “Revolução” na Educação, e basta olhar os indicadores do nosso estado para perceber a tal “REVOLUÇÃO”, mas no sentido REVERSO; assim nos deparamos como arremata com muita visão o amigo Hugo Freitas, com mais uma tentativa desesperada do governo de melhorar os indicadores, e como tudo que surge nessa gestão de mirabolante, cabe aqui a análise e visão administrativa da situação: mais um programa que surge de maneira AD HOC.

Infelizmente é essa a visão que se tem da educação em nosso estado, o que se espera neste novo processo “REVOLUCIONÀRIO” da educação é que não adote “BIOGRAFIA” de certo político como leitura obrigatória em sala de aula.

Segue a matéria....

Para fortalecer a aprendizagem de mais de 12 mil alunos da 3ª série do ensino médio da rede pública estadual, o Governo do Estado, por intermédio das secretarias de Ciência e Tecnologia (Sectec) e Educação (Seduc), lançou, nesta segunda-feira (18), o edital para seleção de mil tutores que irão atuar no Programa Aula do Futuro 2011.

A ação visa melhorar o desempenho dos estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), contribuindo para sua inserção nas Instituições de Ensino Superior.

As inscrições poderão ser feitas até dia 31, no endereço eletrônico www.fapema.br/patronage. Poderão participar da seleção, conforme edital, professores que desempenham atividades no ensino médio, nas áreas de Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Língua Espanhola, Matemática, Física, Química, Biologia, História e Geografia.

Um ponto a destacar é que o programa Aula do Futuro não servirá como reposição das aulas não ministradas pelos professores da rede estadual durante o período de greve. Este programa desenvolverá atividades complementares ao conteúdo ministrado em sala de aula, visando Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Os candidatos pré-selecionados deverão participar de uma capacitação, com duração de uma semana, com carga horária de 18h. Aqueles que apresentarem melhor desempenho serão escolhidos para atuação como tutores do programa. Os tutores receberão bolsas no valor de R$ 580,00 para dedicação de, no mínimo, 8 horas semanais. As bolsas terão duração de até seis meses, de acordo com a disciplina ministrada.

Segundo o secretário adjunto da Sectec, Almir Coelho, além dos tutores, deverão ser selecionados, posteriormente, cerca de 120 supervisores e monitores. “O programa possui características inovadoras, utilizando metodologia com suporte de recursos tecnológicos avançados na modalidade de educação à distância, adaptado à realidade da região, permitindo atender um grande contingente de alunos, professores e técnicos”, destacou.

A secretária adjunta de Ensino da Seduc, Graça Tajra, ressaltou que todo o desenvolvimento do programa será acompanhado por uma equipe técnico-pedagógica das duas secretarias envolvidas, para que a ação seja exitosa. “Todo o processo será avaliado periodicamente com intuito de garantir ao aluno o sucesso ao programa, bem como o fortalecimento da aprendizagem”, declarou.

O chefe da Assessoria de Planejamento e Ações Estratégicas, Hênio Aragão, explicou que o programa tem carga horária total de 500 horas/aula, estruturada em áreas temáticas e abordando um total de nove disciplinas. “As aulas serão ministradas através da metodologia de ensino presencial mediado por tecnologia com carga-horária e processo de ensino aprendizagem, dividido em três momentos distintos: videoconferências, apoio tutorial presencial e estudos complementares a distância”, explicou.

O programa Aula do Futuro é uma ação continuada que teve início em 2009, com atividades pedagógicas distintas e complementares, com foco nos alunos, professores e profissionais da 3ª série do ensino médio da rede pública estadual. Nesta edição, as aulas acontecerão em 97 escolas da rede estadual, em 46 municípios, nos quais estão instalados pontos de interatividade.

Esta é uma tentativa desesperada do Governo Roseana em tentar melhorar os alarmantes e vergonhosos índices educacionais do Maranhão diante da proximidade do Enem, uma vez que o Exame é um dos pontos estatísticos que colocam a educação maranhense entre as piores do país.

Pena que o Enem só ocorra uma vez por ano. Como seria bom se fosse um exame mensal. Quem sabe, assim, as iniciativas do atual governo não seriam meramente paliativas, mas constantes e em tempo integral.

Texto Original: Hugo Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.