sábado, 29 de outubro de 2011

PARA MUITOS, POLÍTICA SE RESUME APENAS A UMA ELEIÇÃO


O “tempo da política”, como diz a literatura sobre o comportamento eleitoral, é distribuído desigualmente. Enquanto o político profissional, em 2011, já enxerga as eleições de 2012 como algo que merece sua máxima atenção, os agentes, em suas vidas cotidianas, vão deixar para pensar sobre o assunto quando a “política começar”, geralmente, com a liberação das palestras e comícios.
Há, para além dos políticos profissionais, todo um conjunto de categorias sócio-profissionais que vivenciam a política mais de perto. No entanto, eles, universalizando a sua condição particular, podem andar em relativo, ou total descompasso com o restante da sociedade.
Ora, não é isto, em certo sentido, que acontece com os ratos da política? Vendo “sua realidade” como “a realidade”, falam de disputas eleitorais que estão bem longe do horizonte do homem comum.
Esta condição – desconsiderei as fofocas – torna, em muitos momentos, a leitura das colunas políticas uma verdadeira chatice. Ao invés de falar sobre as propostas, projetos, organização das bases sociais que dão sustentação a política, etc. os jornalistas especulam sobre as eleições de 2012, 2014, 2020.
Com isso, se distanciam da sociedade, na mesma medida em que também resumem a política ao momento em que ocorre o pleito eleitoral.
Entretanto, política é bem mais do que simplesmente colocar o voto numa urna e ver depois quem foi o vencedor. Falar de política significa articular a concorrência entre sujeitos e grupos sociais que visam chegar no poder. No entanto, não é apenas isto. Os grupos carregam valores, visões de mundo, ideologias, muitos deles só desejam explorar, outros desviar, e uns poucos realmente lutam por projetos de bem viver. É intrigante, que este último, por ser o mais indicado, dificilmente chega ao poder... A política está, neste sentido, intrinsecamente ligada à realização de sonhos. Sonhos da elite dominante, e sonhos do povo, mas, quase  sempre os primeiros têem seus sonhos realiizados...é por isso que existe a revoltante e famosaDesigualdade Social!!!


Analisar a luta por poder não pode estar desvinculada da busca por compreender quais são os projetos de sociedade que rivalizam entre si. E estas diferenças políticas alicerçadas por classes sociais sobre como melhorar a sociedade e a quem atender é algo que se processa diariamente, tanto na sociedade civil, como também no âmbito do estado. A eleição é apenas uma pequena parte de um processo bem mais amplo.
Resumir esta esfera social a uma mera eleição e conseqüente luta entre grupos para se chegar a um determinado cargo, diz muito pouco sobre o que a política é capaz de produzir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.