terça-feira, 15 de novembro de 2011

Disque-denúncia já recebeu 600 ligações sobre a Rocinha

Até agora, 69 fuzis já foram apreendidos pelas polícias Civil e Militar em três dias de ocupação




Rio- As denúncias de moradores têm ajudado a polícia a encontrar armas e drogas nas comunidades da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, ocupadas no domingo. Nos primeiros 14 dias de novembro, o Disque-Denúncia (2253-1177) recebeu 673 denúncias relacionadas à Rocinha e ao Vidigal, número 30 vezes maior do que no mesmo período de 2010, quando foram recebidas 22 ligações. Apenas entre domingo e segunda-feira, foram 308 chamadas. Nas três semanas anteriores, a média de informações sobre a região durante um domingo ou segunda era de quatro ligações por dia.
Com a ajuda das informações dos moradores, apenas nesta terça, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) apreenderam 29 fuzis, sendo 19 deles em uma casa na localidade conhecida como Roupa Suja, próximo à Rua 2. No mesmo local, os policiais encontraram uma metralhadora .30, duas espingardas calibre 12, duas pistolas, nove granadas e 123 carregadores de fuzil. Além disso, os policiais localizaram uma quantidade ainda não contabilizada de coletes à prova de bala, fardas camufladas, fogos de artifício e material de endolação de drogas. Segundo o tenente Tiago Matos, que coordenou a ação, os policiais se surpreenderam com a apreensão da metralhadora:
— Essa arma tem um poder de fogo enorme. Poderia inclusive derrubar uma aeronave.
Segundo a polícia, os militares chegaram até as armas através de denúncias. Até agora, 69 fuzis já foram apreendidos pelas polícias Civil e Militar em três dias de ocupação.
Um dos fuzis encontrados nesta terça tinha um adesivo de coelho, em alusão ao traficante Anderson Rosa Mendonça, o Coelho, chefe do tráfico no Morro de São Carlos preso na semana passada na Gávea e braço-direito do traficante Antonio Bonfim Lopes, o Nem. Mais cedo, os policiais já tinham encontrado 10 fuzis escondidos na laje de uma residência, também na localidade Roupa Suja. Nesta tarde, os policiais continuam fazendo varreduras na comunidade.
— Nós esperamos receber agora mais denúncias nesse dia a dia da população observando o que está acontecendo dentro da Rocinha. A polícia não conhece tão bem quanto os moradores o que está acontecendo lá. E é necessária essa informação — afirmou o coordenador do Disque-Denúncia, Zeca Borges, em entrevista ao RJ-TV.
Nesta terça-feira, 147 toneladas de lixo foram recolhidas nas comunidades da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu. Este é o segundo dia de operação reforçada de limpeza urbana, uma ação da prefeitura por meio da Comlurb. As ações policiais de pacificação paralisaram os serviços nas favelas durante o fim de semana, e agora os garis retiram o acúmulo de lixo. Desde o início da operação, cerca de 280 toneladas de resíduos já foram recolhidos das três comunidades. Foram 157 homens, entre trabalhadores comunitários e garis da Comlurb. A equipe contou com quatro pás mecânicas, 14 caminhões basculantes, cinco caminhões compactadores, uma varredeira, um poliguindaste e dois minitradores. O trabalho da empresa contará também com garis alpinistas, para a retirada de lixos nas encostas.

Fonte: O globo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.