sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Detentos-bombas planejavam mandar pelos ares Complexo Penitenciário de Pedrinhas, mais GEOP evita fuga em massa de presos

O Grupo de Escolta e Operações Penitenciárias (GEOP) detectou, na manhã de quinta-feira, 2, artefatos que seriam usados para a fabricação de uma bomba caseira, que resultaria na fuga de presos. O material estava num fundo falso de um depósito cheio de comida. A apreensão aconteceu na Casa de Detenção (Cadet 2), um dos prédios anexos ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas.


_dsc0317
Foto_Monteles

_dsc0339
Garlene dos Santos


_dsc0341
Diego Alves


Foto Monteles
Ernaldo Rodrigues Nascimento

                                                                                                                                                             
Durante a vistoria de rotina, os agentes encontraram dentro do recipiente uma banana de dinamite e pólvora, que estavam sendo conduzidos por Gerlane dos Santos Pereira, de 22 anos. A jovem, que está grávida de quatro meses, visitava o marido, Hernando Rodrigues Nascimento.
Conforme informações do superintendente de execuções penais da Secretária de Estado da Justiça e Administração Penitenciária (SEJAP), Fredson Maciel, o produto seria para o marido da jovem. Fredson contou que Gerlane não tinha conhecimento do que transportava no depósito. “Ela que nos disse que não sabia que o material estava dentro da quentinha”, afirmou o superintendente.
Fredson disse ainda que uma terceira pessoa, o interno Diego Cristiano Alves, o “Paraná”, foi quem tinha feito a encomenda do material explosivo. De acordo com ele, Paraná, que é especialista em explodir caixas eletrônicos, teria ameaçado Hernando para que Gerlane, durante o dia de visita, trouxesse o material. “Estamos investigando, mas o que sabemos é que o Paraná teria dito para o Hernando que se ele não mandasse a mulher trazer a dinamite ele iria fazer algo contra ela em dia de visita”, contou Maciel.
Fuga em massa
Hernando revelou que o material seria usado para explodir o muro da quadra durante o banho de sol dos internos. Ele disse que já planejava a ação algum tempo. De acordo com ele, a esposa realmente não tinha conhecimento da ação que resultaria numa fuga em massa dos presos de Pedrinhas. “Eu tinha esse material guardado em casa e eu iria explodir o muro da quadra pra quem quisesse fugir ter a oportunidade”, afirmou.
SEIC
Fredson Maciel contou que todos os três serão encaminhados para  a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC). Lá o delegado investigará o envolvimento que cada um tem na ação.

Reportagem: Alan Jorge 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.