quarta-feira, 9 de maio de 2012

Assembléia está impedida de fazer CPI, o motivo é a falta de segurança dos deputados


Quem imaginou que a falta de segurança no Maranhão tinha abatido apenas as famílias das pessoas que foram assassinadas, se enganou. Na sessão dessa terça feira, 8, na Assembléia Legislativa, foi principal assunto, que fez inclusive, com que os nossos deputados negassem o pedido da CPI da pistolágem.
“Desmoralizada, a polícia do Maranhão prometeu um prêmio de cem mil reais a quem encontrasse o autor do disparo”. Estas são as palavras do deputado Raimundo Cutrim, falando sobre a falta de segurança no Maranhão, que está fazendo como nos EUA, que paga recompensa para quem capturar bandidos.
Enquanto em Brasília, a CPI do Cachoeira é uma realidade, no parlamento maranhense a CPI da pistolagem foi impedida de acontecer porque não teve o total de assinaturas necessárias (14). Além das 13 que recebeu, foram retirados alguns nomes, por seguirem ‘ordens superiores’.
Para justificar o fim da CPI, Arnaldo Melo disse que a Assembléia “não é delegacia de polícia” e que a Casa não teria os instrumentos necessários para uma CPI que possa por em perigo as vidas dos nossos parlamentares.
Fique abaixo com o discurso do deputado Raimundo Cutrim:
Desmoralizada, a polícia do Maranhão prometeu um prêmio de cem mil reais a quem encontrasse o autor do disparo. Não explicou se o assassino deveria ser encontrado vivo ou morto. Primeiro, que recompensa?
A nossa legislação brasileira não fala em recompensa, não há legalidade em pagar recompensa no Brasil. Isso tem nos Estados Unidos, mas, no Brasil, nós temos que abraçar a causa e a população.
O patriotismo é que tem o compromisso legal com a população de buscar a autoria desse e de outros crimes, isto que é muito importante como foi feito na época do trabalho de combate ao crime organizado, momento em que a população abraçou a causa.
Fonte: blog Luis Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.