terça-feira, 28 de agosto de 2012

Eleições 2012: a assim chamada “herança maldita”





Do blog de Robert Lobato

Sempre é a mesma coisa e a população está cansada disso.

Assim: um candidato de oposição se elege prefeito, assume o cargo e depois dos primeiros 90 dias de governo o sujeito começa afirmar que ainda não deu para fazer nada porque o desafio é “arrumar a casa” e se desfazer da “herança maldita” que recebeu do antecessor. Quem ainda não viu esse filme?

Pois é. Acontece, que quando alguém se aventura a candidatar-se a prefeito de uma cidade deveria saber sobre a situação administrativa da mesma, para depois não vir com essa história de “herança maldita” e que precisa de um tempo para “arrumar a casa”.

Isso conversa mole de quem, durante a campanha, não apresentou um programa de governo para implantar na cidade e depois, no exercício do cargo, não sabe o que fazer a frente da gestão municipal. Pura incompetência!

Sempre é a mesma coisa e a população está cansada disso.

Assim: um candidato de oposição se elege prefeito, assume o cargo e depois dos primeiros 90 dias de governo o sujeito começa afirmar que ainda não deu para fazer nada porque o desafio é “arrumar a casa” e se desfazer da “herança maldita” que recebeu do antecessor. Quem ainda não viu esse filme?

Pois é. Acontece, que quando alguém se aventura a candidatar-se a prefeito de uma cidade deveria saber sobre a situação administrativa da mesma, para depois não vir com essa história de “herança maldita” e que precisa de um tempo para “arrumar a casa”.

Isso conversa mole de quem, durante a campanha, não apresentou um programa de governo para implantar na cidade e depois, no exercício do cargo, não sabe o que fazer a frente da gestão municipal. Pura incompetência!

Sempre é a mesma coisa e a população está cansada disso.

Assim: um candidato de oposição se elege prefeito, assume o cargo e depois dos primeiros 90 dias de governo o sujeito começa afirmar que ainda não deu para fazer nada porque o desafio é “arrumar a casa” e se desfazer da “herança maldita” que recebeu do antecessor.

Quem ainda não viu esse filme?

Pois é. Acontece, que quando alguém se aventura a candidatar-se a prefeito de uma cidade deveria saber sobre a situação administrativa da mesma, para depois não vir com essa história de “herança maldita” e que precisa de um tempo para “arrumar a casa”.

Isso conversa mole de quem, durante a campanha, não apresentou um programa de governo para implantar na cidade e depois, no exercício do cargo, não sabe o que fazer a frente da gestão municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.