segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Melhoria em trecho da MA-203 privilegia futuro condomínio de luxo


Moradores, pedestres e motoristas reclamam que a recente melhoria realizada num trecho da MA-203 beneficiou apenas um novo condomínio residencial de luxo, o Damha, ainda em fase de construção, localizado ao lado do condomínio Alphaville Araçagi. A rodovia estadual liga São Luís aos municípios de Raposa e Paço do Lumiar.
Para os moradores da área, a falta de sinalização e ausência de melhorias em toda a extensão da via têm sido fator determinante para os frequentes acidentes, em sua maioria resultando em mortes, que ocorrem na MA-203.
A cozinheira Francisca Silva, de 42 anos, moradora do Residencial Pirâmide, disse que todos os dias precisa atravessar a pista para esperar o ônibus ou um transporte alternativo que a leve ao trabalho.
A travessia perigosa e a falta de infraestrutura às margens da via transformam a espera em momentos de tensão. 'A estrada é estreita, e por isso muitos carros trafegam no acostamento na hora de realizar ultrapassagens. A falta de sinalização e o grande número de curvas também favorecem a ocorrência de acidentes', afirmou Francisca.
'O engraçado é que o governo do Estado permite que essas construtoras, que nem maranhenses são, realizem obras numa MA que beneficiam apenas alguns ricos, enquanto a maior parte da população, que somos nós, os trabalhadores, é obrigada a conviver com a insegurança diária dessas estradas da morte', disse a cozinheira.
O motorista Ricardo Santos Martins, 39 anos, disse que mora no Araçagi, mas quase todos os dias precisa levar a mulher até o município de Raposa, local onde ela trabalha.
Ele contou que as obras de melhoramento da via se limitaram a uma rotatória de acesso ao condomínio Damha, com vias duplas, além da instalação de um conjunto semafórico e sinalização horizontal e vertical, na frente do residencial.
'Reconheço que a iniciativa foi boa, mas o governo tinha a obrigação de aproveitar o andamento da obra e seguir para os municípios, afinal dirigimos literalmente no escuro por aqui. Além dos animais na pista, não há sinalizações nem alargamento das vias, que mal conseguem comportar dois veículos em ambos os sentidos. Há quase dois meses, um caminhão quase me tirou da pista porque não cabia os dois veículos na pista. Tive de trafegar no acostamento, e graças a Deus não tinha nenhum pedestre lá quando isso aconteceu', declarou Ricardo.
Outro lado – A Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) informou, por meio de nota, que a intervenção na via mencionada foi uma obra privada, licenciada pelo órgão. A secretaria explicou, ainda, que houve um acordo com alguns empresários para a liberação dos serviços, mediante as exigências solicitadas para o melhoramento do retorno ali construído. O projeto foi aprovado e posteriormente executado dentro dos padrões requisitados pela Sinfra.
Já a assessoria de imprensa da empresa Damha, informou, também por meio de nota, que, em relação à obra de acesso ao residencial Damha Araçagi, já existe previsão por parte do governo do Estado, de realizar a duplicação da MA-203, processo este que está em andamento e sobre o qual a Damha Urbanizadora não possui qualquer interferência.
Como o acesso ao empreendimento era muitas vezes perigoso, por conta da rodovia, e ainda não há prazo para conclusão das obras de duplicação, a Damha solicitou e conseguiu, junto à Sinfra, a aprovação para execução da obra de acesso ao seu empreendimento, neste trecho da MA.
Quando as obras de duplicação estiverem em andamento ou concluídas, os órgãos responsáveis providenciarão a adequação e integração entre os dois projetos.
Segundo a Damha, no caso da obra de acesso ao residencial, não há utilização de verba pública. 'Todo o investimento é privado, sendo realizado pela própria Damha Urbanizadora, visando o benefício e a segurança dos seus clientes e das pessoas que por ali transitam', finaliza a nota.

Fonte: Jornal Pequeno

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.