quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Contagem Regressiva

Escândalo na pesca pode (I)
derrubar dois deputados


Dois parlamentares maranhenses (um federal e outro estadual) estão com os respectivos mandatos por um fio, por conta de um escândalo que deverá eclodir ainda este ano, envolvendo pescadores fictícios, aposentados com apoio dos dois deputados, eleitos com esse tipo de manobra. O caso foi investigado pela Polícia Federal, que está finalizando o trabalho para encaminhá-lo à Justiça Federal, com desdobramentos que podem levar os dois homens públicos até à cadeia.
O escândalo é tão evidente, que em Rosário, por exemplo, com uma população de 39 mil habitantes, pelo menos 20 mil são considerados “pescadores”, filiados em duas entidades, um sindicato e a Colônia de Pescadores.


Escândalo na pesca pode (II)
derrubar dois deputados


Na cidade de Bacabeira, sem qualquer vocação para a pesca. Onde os únicos açudes se concentram no Campo de Perizes, existe também uma numerosa concentração de pescadores, bandalheira que se espalha por outros municípios do Maranhão. Na semana passada, num dos bancos oficiais de São Luís, uma exuberante “pescadora”, loura, de olhos azuis e de silhueta curvilínea, provocada por um funcionário da instituição de crédito, disse que costumava pescar “picanha e chã de dentro”. O caso deverá estourar como uma bomba de efeito retardado, já que foram constatados casos de falsos pescadores que sequer conhecem um azul e que conseguiram aposentadoria. É aguardar para conferir.


Escândalo na pesca (lll) pode
derrubar dois vereadores

A Coligação “ A Esperança Voltou”, representada pelo ex-prefeito de Raposa, José Laci de Oliveira, que tinha como candidata à prefeita do município, a jovem Talita Laci (PCdoB), está representando judicialmente os vereadores Lídia da Colônia e Pierre Oliveira, ambos do PMDB, partido da governadora Roseana Sarney.

O grupo de Talita Laci argumenta que Lídia e Pierre, que fazem parte da Colônia de Pescadores, teriam usado a estrutura da entidade pesqueira, para a prática de captação ilícita de sufrágio, em outras palavras: compra de votos.
Na AIJE – Ação de Investigação Judicial Eleitoral – a coligação de Talita Laci afirma que os vereadores eleitos, Lídia da Colônia e Pierre da Pesca, teriam comprado votos de colonizados com quitações de mensalidades da Colônia.
Especialistas em direito eleitoral, afirmam que há uma fragilidade na argumentação e nas provas anexadas ao processo.
Lídia da Colônia e Pierre da Pesca são acusados, pela coligação de Talita Laci, de terem emitido recibos de quitação das mensalidades da Colônia, entretanto, nenhum dos recibos leva as assinaturas dos até então candidatos.
No processo, também constam alguns depoimentos de colonizados, afirmando terem sido procurados pelos candidatos para trocarem votos, pelas quitações das mensalidades, mas não existem provas materiais das supostas negociações ilícitas.
Todos os recibos de quitações anexas ao processo estão assinados pelo presidente da Colônia de Pescadores, Edberto Oliveira Freitas.
Nenhum dos documentos apresentados no processo, tem o peso suficiente para derrubar os mandatos dos vereadores eleitos, Lídia da Colônia e Pierre da Pesca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.