domingo, 2 de dezembro de 2012

“carta de dezembro”


PDT – O PARTIDO DO LUPI E DO MANOEL DIAS?

É coerente com a atual fase da política brasileira e, ainda mais, a maranhense, que o PDT esteja seguindo os passos de sua forca moral. Isso mesmo, forca e não força!
Tivemos conhecimento de que os donos do PDT, os senhores Carlos Lupi e Manoel Dias, desmoralizados com os acontecimentos a respeito da atuação do primeiro no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), com a obediente cobertura do segundo, andam tontos com a insurgência nacional pedetista, que começa a ganhar força antes da reunião do Diretório Nacional que acontecerá no dia 06 de dezembro.
Estão preocupados com a possibilidade de perder o apoio do partido que, depois da morte de Leonel Brizola, transformaram num balcão de negócios, do fisiologismo e da politicalha, e que deverá decidir seu destino no mês de março de 2013, na Convenção Nacional.
No Maranhão, repentinamente, tivemos notícia de um edital que convoca delegados para uma convenção municipal em São Luis. Tudo na surdina e num breve espaço de tempo.
É um esforço para legitimar o ilegítimo, nada mais.
Afinal, a atual Comissão Provisória foi formalizada pela atual Comissão Provisória estadual, a que foi feita pelas canetas autoritárias do Lupi e do Manoel Dias. Infelizmente, o Estatuto do PDT concentra muito poder à Executiva Nacional, que dá o poder de formar ou desformar as Comissões Provisórias municipais e estaduais de acordo com a simpatia dos seus donos, é verdade, donos do PDT. Dirigente de um partido democrático e trabalhista ausculta, ouve, decide e respeita as decisões de suas maiorias. Pois bem, no PDT, acontece o contrário, as minorias malandras, que aceitam ser subservientes à politicalha são elevadas às direções partidárias.
É o que estamos assistindo no Maranhão. Um presidente de comissão provisória de São Luis (que responde a vários processos, seja por ter sido secretário do governo Jackson Lago ou por ter sido assessor do Carlos Lupi no MTE) antes catapultado, pelos senhores Lupi e Manoel Dias, a presidente do PDT municipal, através da Comissão Provisória estadual presidida pelo Julião Amin, agora, numa reunião de poucos, muito poucos diante do número de filiados do partido, fazem uma convenção a toque de caixa para formalizar a decadência pedetista em nossa capital.
Não tivemos outra opção a não ser a de entrar na Justiça com um pedido de embargo da realização da convenção, uma vez que burla o Estatuto no próprio edital de convocação, além de ser convocada às pressas sem o devido debate e esclarecimento das circunstâncias de sua realização.
Mais, como não reconhecemos a Comissão Provisória estadual que formalizou a atual Comissão Provisória municipal, ambas fruto do arbítrio dos atuais dirigentes nacionais, como poderíamos participar de um ato burlesco que contribui para diminuir a já pequena política exercida em nosso estado e país?
A batalha, esta da convenção municipal a toque de caixa, ainda não terminou, mas serviu para mostrar quem é quem, especialmente aos sempre fisiológicos e boquiabertos do poder.
Saudações Trabalhistas!
Igor Lago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.