terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Ocupantes de terreno protestam contra reintegração marcada para esta quarta

Moradores do Parque Araçagi II, com receio de terem as suas casas demolidas fizeram uma manifestação que começou por voltas das 7h até às 11h40 da manhã desta terça-feira (11), na Avenida dos Holandeses, sentido Araçagi, deixando o trânsito completamente parado. Devido a reclamação por parte dos motoristas que passavam pelo local, a manifestação causou um princípio de tumulto. Para conter o impasse, a Polícia Militar e a Tropa de Choque foram chamadas.
Manifestação gerou impasse entre moradores, motoristas e policiais
Segundo moradores, a área foi invadida a cerca de oito meses e só agora começou a aparecer possíveis donos. Por isso, eles resolveram manifestar-se nesta terça-feira contra uma reintegração que estaria marcada para esta quarta-feira (12).

Ainda de acordo com os residentes, a maioria das pessoas que ocuparam o espaço são do interior do Maranhão e não possuem condição de morar de aluguel. Eles também alegam que não tem famílias próximas para morarem juntos, pelo menos até a situação ser resolvida.
“Ninguém veio aqui conversas com a gente, soubemos pela boca de terceiros que iriam derrubar as nossas casas amanhã. A nossa manifestação é pra chamar atenção das autoridades competentes para que possamos entrar em algum acordo, pois não temos outro local para ir”, disse a moradora Maria da Conceição

O comandante Evaldo do 8º Batalhão da Polícia Militar (BPM), que comandava a operação policial responsável por conter o impasse entre manifestantes e motoristas, relatou que estava cumprindo a ordem para desobstruir a avenida e que a mesma seria cumprida. 

Juntamente com o comando da PM, o Batalhão de Choques, também foi acionado para conter os manifestantes e cumprir a determinação de liberar as vias.

OAB acompanha impasse

De acordo com o Rafael Silva, representante da Comissão de Direito Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MA), a ordem de reintegração é valida e os moradores precisam se organizar politicamente para conseguirem reivindicar. 

“Pelo o que estamos acompanhando, está tudo dentro da normalidade a polícia agindo com paciência com o manifestantes, mas os moradores precisam se organizar melhor, para cobrar um ação eficaz do poder público, principalmente do executivo de São José de Ribamar, prefeito Gil Cutrim”, revela Rafael.

A Comissão de Direitos Humanos, que vem acompanhando as reintegrações de posses, que acontecem principalmente na área do Aracagi, acredita que a Prefeitura de São José de Ribamar, precisa agir rapidamente para amenizar os problemas fundiários do município.

“Há cerca de um mês nós estávamos nesse mesmo local, acompanhando uma ação de reintegração e é perceptível como a prefeitura de Ribamar está omissa. Amanhã teremos outra ação e nenhum pronunciamento do Srº Prefeito Gil Cutrim, condena Rafael Dias”.

Fonte: O imparcial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.