segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

SSP descarta incialmente anulação de concurso público

Denúncias sobre tentativa de fraude em concurso levaram a SSP se reunir com representantes da FGV.


SÃO LUÍS - A Secretaria de Estado da Segurança (SSP) descarta a possibilidade de anulação do concurso público, para preenchimento das 2.379 vagas, realizado no sábado (1º) e domingo (2), na capital maranhense, em Caxias e Imperatriz, para as Polícias Militar e Civil, além de Corpo de Bombeiros.
Denúncias sobre tentativas de fraude no concurso da área de segurança levou a Secretaria de Segurança Pública a se reunir na manhã desta segunda-feira (3), com representantes da Fundação Getúlio Vargas (FGV) responsável pela realização do concurso, que envolveu mais de 70 mil candidatos.
Segundo informações do repórter da TV Mirante, Douglas Pinto, na edição desta manhã (3), no programa Ponto Final, na rádio Mirante AM, 23 pessoas foram presas em São Luís e cinco em Caxias suspeitas de envolvimento em suposta fraude no concurso. O jornalista informou, ainda, que um professor, que não teve a identidade revelada, está preso. O docente, que seria o responsável pelo esquema da fraude, teria feito inscrição no concurso para a Polícia Militar e passaria as informações das prova pelo celular para os suspeitos, que pagariam entre R$ 10 mil e R$ 20 mil. Policiais do Delegacia de Investigações Criminais (Deic) e a Superintendência de Polícias Civil da Capital e do Interior se anteciparam e conseguiram efetuar as prisões dessas pessoas para investigação. Todas estão detidas na Centro de Detenção Provisória de Pedrinhas. O caso de possível fraude está sendo apurado.
Entrevista coletiva com o secretário de Estado de Segurança, Aluísio Mendes, está prevista para essa segunda-feira (3), onde serão esclarecidas informações detalhadas e oficiais sobre a suposta fraude e a anulação do concurso.
Segurança
Cerca de 500 homens das Polícias Civil, Militar e ainda do Corpo de Bombeiros foram empregados no trabalho de segurança do concurso. Só na capital, cidade com maior número de locais de prova, a PM utilizou 150 policiais dos 1º, 6º, 8º e 9º batalhões com viaturas e do Ronda da Comunidade e equipes a pé, que percorreram os bairros e as áreas no entorno de onde terão escolas com realização de provas. Policias do Batalhão de Choque (BpChoque) e motocicletas do Esquadrão Águia também integraram os trabalhos.
A Polícia Civil destinou 180 homens, entre delegados, escrivães e investigadores para garantir a segurança e tranquilidade do certame em todo o Estado. A Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC) reforçou os plantões do Cohatrac, Cidade Operária, Vila Embratel e Refesa. Em cada colégio ou universidade onde houve prova, foram alocadas equipes policiais, compostas por um PM, um investigador e um militar do Corpo de Bombeiros. A mesma atenção foi dada em Imperatriz e Caxias.
Inscritos
54.502 inscritos para o cargo de soldado PM e bombeiro; 14.485 para policial civil e 7.660 para delegado. Esse quantitativo concorre a 2 mil vagas para Polícia Militar; 150 para o Corpo de Bombeiros e 229 para Polícia Civil.
Os gabaritos devem ser divulgados na noite desta segunda-feira (3) no site da Fundação Getúlio Vargas, organizadora do concurso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.