terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Sobre a entrevista de Silas Malafaia

Sempre faço questão de dizer a amigos que o grande problema de alguns que se predispõe a evangelizar é o radicalismo com que levam a palavra de Deus. A própria bíblia diz que não é por força e nem violência. E muito menos radicalismo. O Senhor Jesus quando esteve de passagem por esta terra pregou os seus ensinamentos de forma amorosa, calma, mansa, simples e muito humilde. Nada de julgamentos ou preconceitos. Pelo contrário, envergonhou, por exemplo, os doutores da lei naquele caso da mulher que cometeu adultério, onde segundo relata a passagem da bíblia, estes pediram que ela fosse apedrejada e Jesus, na sua infinita misericórdia e sabedor que somos pecadores, a perdoou, dizendo que aquele que não tivesse pecado atirasse a primeira pedra.
Vendo a entrevista do pastor Silas Malafaia, na Gabi (SBT), muito do que ele abordou realmente confere com os ensinamentos bíblicos, tais como prostituição, adultério, prática homossexual entre outros que são pecados condenáveis por Deus. Mas não é por isso que se deve hostilizar ou ser preconceituoso com homossexuais (muitos dos quais amigos do titular do blog, que amo e respeito, apesar de não concordar com a atitude) e julgar ou condenar quem trai seu parceiro ou parceira.
A palavra que deve ser levada a humanidade é de amor ao próximo, de um Deus não vingativo, mas bondoso, benevolente, que ama o pecador e perdoa seus pecados. Ponto!
Inconcebível deixar isto de lado e se deixar ditar por um discurso rançoroso xiita de que se não aceitar a Jesus você vai para o inferno, algo típico de pessoas fanáticas (ou até mesmo algumas com boas intenções, mas que se deixam ser influenciadas por quem realmente não conhecem a palavra de Deus).
Para evitar estes tipos de distorções/incongruências, um conselho aos evangélicos, como eu (fervoroso, servo de Deus, jamais radical, preconceituoso e extremista) é que pregue o que Jesus nos ensina, o que está nas escrituras sagradas. Não procure falar de inferno ou do inimigo das nossas almas de maneira histriônica etc., mas daquilo que sacie o vazio de muitos que esperam hoje uma palavra de conforto aos seus corações em razão dos sofrimentos, tribulações, angústias por qual passam e que só Deus pode preencher o vazio e solucionar.
Temos que pregar um Deus que cura, salva, ouve nossas orações, resolve nossos problemas, nos abençoa – mesmo sendo pecadores – e, além de tudo, tem um plano eterno para as nossas vidas não nesta terra, mas na eternidade. É isso, caros amigos leitores.

Um comentário:

  1. Silas Mlafaia desempenhou muito bem o seu papel de apologista da fé cristã, a biblia é muito clara quanto a isso Jesus encinou contra o pecado falando inclusive sobre o inferno e alertando as pessoas para que não cometesse pecado para não ir para lá, quem assistiu todo o programa percebeu que ele falou com amor e deixou bem claro que não é porque não concorda com os gays que os odiava, o problema é que estão disseminando a grande metira que evangelicos são homofóbicos só porque não concordam com a opinião

    ResponderExcluir

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.