sábado, 27 de julho de 2013

Grupo Mateus diz que foi “surpreendido” por greve

O Grupo Mateus emitiu nota à imprensa, ainda na noite de ontem (26), afirmando que “foi surpreendido com as manifestações na frente de algumas de suas lojas na capital”. Segundo a empresa, ainda há negociações em andamento.

A paralisação dos trabalhadores segue neste sábado (27). Pela manhã eles fizeram concentração na loja da Cohama e depois saíram em passeata pela cidade, passando pelas unidades do Turu, Cohab e Cohatrac.

Ainda no comunicado oficial, o Grupo Mateus se diz “uma empresa democrática” e reafirma a disposição para continuar negociando com a categoria.

“Como forma de assegurar a sociedade e os serviços que presta em suas lojas, a empresa reforça seu compromisso em prosseguir com o diálogo com os representantes da categoria, no sentido que as negociações sejam rapidamente concluídas”, dia a nota.

_____________________Leia mais
Greve geral dos funcionários dos Supermercados Mateus

Veja abaixo a íntegra

O Grupo Mateus, com 27 anos de atuação no Maranhão, Piauí, Tocantins e Pará, informa que trabalha de forma planejada, cumprindo rigorosamente os seus compromissos legais, contratuais e sociais, respeitando assim a cultura dos locais em que se estabelece.

Sobre a paralisação dos seus empregados na tarde desta sexta-feira, 26 de Julho, com apoio do Sindicato dos Empregados no Comércio de São Luís (Sindcomerciários), o Grupo Mateus esclarece que foi surpreendido com as manifestações na frente de algumas de suas lojas na capital,uma vez que ainda está em andamento um processo de negociação com o Sindicomerciários.

Sendo uma empresa democrática, o Grupo Mateus espera que estas reivindicações não interfiram no direito de ir e vir da população. Como forma de assegurar a sociedade e os serviços que presta em suas lojas, a empresa reforça seu compromisso em prosseguir com o diálogo com os representantes da categoria, no sentido que as negociações sejam rapidamente concluídas.

Justiça determina que grevistas devem liberar acesso a lojas do Mateus

01h00 – A Justiça do Trabalho concedeu, ainda na noite de sábado (27), liminar em ação de interdito proibitório protocolada pelo Grupo Mateus e decidiu que os funcionários em greve não podem mais perturbar a ordem dos estabelecimentos enquanto durar a paralisação.

A decisão é da juíza Noelia Rocha, titular da 5ª Vara de Trabalho da capital. Ela ainda julgará o mérito do pedido da empresa, que solicita a declaração da ilegalidade do movimento.

No despacho, a magistrada determinou a expedição de mandado inibitório para que o Sindicato dos Empregados do Comércio de São Luís (Sindcomerciários) não pratique qualquer ato que possa dificultar ou impedir o direito de clientes ou mesmo funcionários que não aderiram à greve acessarem as lojas do grupo.

Durante todo o sábado, houve relatos de clientes e funcionários que não aderiram ao movimento paredista sobre dificuldades de entrar nas lojas. A mobilização foi feita com piquetes nas portas dos estabelecimentos e passeatas pelas principais avenidas da cidade.

Em caso de descumprimento, a multa estabelecida pela Justiça do Trabalho é de R$ 15 mil por dia, que prevê até a intervenção policial para garantir o cumprimento integral da decisão.


Fonte: Blog Gilberto Léda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.