quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Polícia já teria um suspeito de cometer abuso contra grávida em Raposa

A jovem grávida que foi espancada e violentada em uma matagal, na cidade da Raposa, foi ouvida, na manhã desta quinta-feira (22/8), na Superintendência da Polícia Civil da Capital. Contudo, ela não conseguiu responder às perguntas feita pela responsável pelo inquérito, a superintendente de polícia da capital, Katherine Silva Chaves, porque começou a passar mal por estar emocionalmente abalada. As palavras que ela deu, no entanto, revelaram o nome de um possível envolvido no crime.
Só que a polícia deve pedir a prisão preventiva do suspeito apenas quando for feito o exame de corpo de delito, que é prova concreta do crime de abuso.
“Estamos tentando convencê-la de fazer ainda hoje o exame, só depois podemos aprofundar o caso e solicitar a prisão de envolvidos depois do laudo que é a única prova aceita pela justiça nessa situação,” acrescenta a superintendente.
Para acalmar a jovem, durante o depoimento, a psicóloga da Secretária de Segurança Pública teve que ser chamada. Ainda nesta quinta-feira (22) a polícia solicitou o prontuário médico do hospital particular em que a jovem ficou internada por dois dias e recebeu alta na quarta (21).
Um novo depoimento será realizado quando a jovem se sentir melhor emocionalmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.