terça-feira, 22 de outubro de 2013

V EBAM: o Social e o Educativo em Bibliotecas e Museus Latino-Americanos

SÃO LUÍS - A Dimensão Social e Educativa dos Arquivos, Bibliotecas e Museus na América Latina. Este é o tema que marca a discussão do V Encontro Latino-Americano de Bibliotecários, Arquivistas e Museólogos (EBAM) que teve início na manhã desta quarta-feira, 16, na Biblioteca Pública Benedito Leite. O V EBAM propõe potencializar, compartilhar e incentivar a participação dos países que compõem a América Latina, na busca de soluções possíveis, já que as realidades e problemáticas das três áreas são similares.
Esta questão foi apresentada também pela professora do Curso de Biblioteconomia da UFMA, Cenidalva Teixeira, que estava representando o reitor Natalino Salgado, onde ela enfatizou que uma das propostas da gestão atual é promover iniciativas que levem o conhecimento à sociedade, possibilitando o crescimento intelectual da comunidade em todas as suas dimensões, visto que é necessário também, incentivar as pessoas a lerem mais. “A Universidade cresceu tanto na graduação quanto na pós-graduação. Já estamos estudando caminhos que nos levem a implantar um curso de Arquivologista e também de Biblioteca a distância, porque precisamos formar mais profissionais que possam trabalhar pela educação do Estado, além de suprir a carência e a necessidade que ainda existe”, afirmou a professora adiantando que a Universidade já está trabalhando para criar uma Pós-Graduação em Biblioteconomia.
O professor César Castro proferiu, junto com a professora Mary Ferreira, a conferência de abertura mediada pela professora Aldinar Botentuit; e na discussão o professor César ressaltou o papel destas três áreas (Biblioteconomia, Arquivista e Museólogo), destacando a utilização das tecnologias de informação e comunicação, alertando que a utilização destas ferramentas não substitui esses profissionais e sim auxiliam a desenvolver de forma eficaz e rápida o trabalho de cada um desses profissionais.
“As tecnologias facilitam o trabalho desses profissionais, o que garante, de forma prática, o acesso aos documentos e arquivos. A prática da leitura, escrita e interpretação é necessária para a sociedade. Nós bibliotecários, arquivologista e museólogos precisamos incentivar a leitura, manter as portas das bibliotecas abertas, porque nós profissionais da informação só atingimos nossos objetivos quando facilitamos o trabalho da sociedade”, explicou.
Já a professora Mary Ferreira, fez um resgate histórico sobre a primeira Biblioteca Pública, que surgiu na antiguidade, na época de Alexandria e falou da inacessibilidade das bibliotecas que perduram desde as épocas antigas até hoje. “As bibliotecas passaram por quatro revoluções. A Protestante, que contribuiu para a educação; a Francesa, que com o lema Fraternidade, Igualdade e Liberdade contribuiu para a formação de um estado laico, o que contribuiu para a construção de biblioteca; Científica, contribuiu para uma nova forma de pensar e direito ao conhecimento; e a última é a Industrial, que garantiu a ampliação ao acervo das bibliotecas”, explicou a docente afirmando que uma Biblioteca Pública tem o sentido de socializar o conhecimento.
Saiba +
O Encontro Latino-americano de Bibliotecários, Arquivistas e Museólogos (EBAM) foi fundado em setembro de 2009, conjuntamente pela Biblioteca e Arquivo Histórico do Honorável Congresso Nacional (atual Assembleia Legislativa Plurinacional) da Bolívia e pelo Grupo de Estudos Sociais em Biblioteconomia e Documentação - GESBI - (Argentina). O II EBAM, ocorreu entre os dias 9 e 11 de setembro de 2010, em Lima (Peru), e o III EBAM ocorreu entre os dias 14 e 16 de setembro 2011, em La Paz (Bolívia).
Para conhecer mais sobre o EBAM acesse o site vebam.ufma.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.