segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Policiais militares realizam assembleia para decidir por paralisação da categoria

Diante dos últimos acontecimentos envolvendo a segurança pública do Maranhão, em que não só populares mais os agentes de segurança também estão na mira bandidos, a Associação de Policiais Militares e Corpo de Bombeiros do Maranhão podem paralisar as atividades. Segundo informações repassadas pela associação dos PMs, eles querem uma ação emergencial para combater a insegurança e negligência das autoridades e a queda do secretário de segurança pública do estado Aluísio Mendes e do comandante da Polícia Militar Franklin Pacheco.-->
A decisão deve ser tomada durante a assembleia que será realizada às 18h desta segunda-feira (11) na Federação dos Trabalhadores da Indústria do Estado do Maranhão (Fetiema).
A última greve dos Policiais Militares e Corpo de Bombeiro do estado foi em novembro de 2011. Eles passaram 10 dias mobilizados no prédio da Assembleia Legislativa do Maranhão e entre as principais solicitações estavam aumento salarial e reajustes fixos até 2014.
A respeito da informação de que 10 policiais militares estariam “marcados para morrer” divulgada no site do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol),  a associação dos PMs disse não ter ainda conhecimento da informação.
Facção criminosa faz o terror em São Luís e mata um policial após vários atentados

Uma ação ousada foi iniciada no início da noite deste sábado (9), no bairro da Vila Nova, por volta das 18h, por integrantes de uma facção denominada como Bonde dos 40, onde foram vítimas dois policiais militares, sendo que o soldado Francinaldo Sousa Pereira, 41 anos, foi alvejado e morto com diversos tiros. Outro crime aconteceu no Bairro de Fátima, onde foi vítima por tentativa de homicídio o policial Antônio Correa Cutrim, também de 41 anos no Bairro de Fátima, por volta das 19h.

De acordo com o Secretário de Segurança, em coletiva no início da tarde deste domingo (10), o crime pode te sido realizado em represária a uma ação policial em que foram mortos dois homens conhecidos como “Cezinha e Tobinha” que seriam integrantes da facção criminosa Bonde dos 40 e que são suspeitos de terem participado do assassinato do policial militar reformado Leônidas Rabelo Silva, 57 anos, conhecido como o “Cabo Silva”, morto no dia 8 de outubro no bairro Cohabiano, nas proximidades do Cohatrac.

O policial Francinaldo Pereira que trabalhava na 3ª Companhia de Polícia Militar, foi vítima de diversos tiros, envolvendo seis homens que estavam em um veículo de cor preta. Os tiros acertaram também Cícero Antônio Sousa, que reside nas proximidades do trailer da Polícia Militar e foi levado para o hospital Djalma Marques, o Socorrão I, mas está fora de perigo. De acordo com as informações, o policial militar foi executado com aproximadamente 19 tiros de armas 380 e 9 mm.

A outra ação culminou na tentativa de homicídio contra a vida de Antônio Correa Cutrim, que foi atingido por diversos disparos de arma de fogo quando estava prestando serviço no trailer do Bairro de Fátima. Os criminosos estavam em uma caminhonete de cor prata. Na ação, outro policial também foi atingido na região do abdômen e foi encaminhado para o Hospital Djalma Marques, o Socorrão I.

Ainda na noite deste sábado (9), por volta das 23h, a delegacia do 7º Distrito policial, localizado no bairro do Turu foi alvo de diversos disparos de arma de fogo, deixando a porta do distrito policial marcada de balas.

O Secretário de Segurança Pública Aluisio Mendes ressaltou que o Serviço de Inteligência da Polícia Militar tem feito um mapeamento, identificado e prendido diversos suspeitos de participarem dos dois crimes, entre eles, foi detido seis pessoas e um dos suspeitos foi morto em confronto com a polícia. A Secretaria de Segurança ainda enviou uma nota para informar os procedimentos adotados em relação aos crimes cometidos contra os policiais.

NOTA DA SSP
A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) informa que o Serviço de Inteligência, com apoio de homens do Batalhão de Choque e do helicóptero do Grupo Tático Aéreo – GTA, que está sobrevoando áreas de São Luís, está à procura dos envolvidos na morte do soldado Francinaldo Sousa Pereira, durante ataque, neste sábado (9), a um trailler da polícia, na Vila Nova.

A ação da SSP busca identificar, ainda, criminosos, que também num ataque a outro trailler da polícia, balearam o sargento Marco Antonio Correa Cutrim e uma moradora no Bairro de Fátima. Ambos foram levados para o Centro Cirúrgico do Socorrão I.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.