segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

CASO BRADESCO: para delegado, vereadores integravam quadrilha

O delegado Augusto Barros, da Superintendência de Investigações Criminais (Seic), que comanda os trabalhas de apuração sobre a existência de um esquema de agiotagem envolvendo vereadores de São Luís e Raimunda Célia de Abreu, ex-gerente do Bradesco, afirmou a O Globo, que o grupo formado para saquear recursos da Câmara Municipal tratava-se mesmo de uma quadrilha.
Segundo ele, organização criminosa foi descoberta no decorrer das investigações sobre o assassinato do jornalista Décio Sá – executado em abirl de 2012 a mando de uma quadrilha de agiotas.
“Foi a partir da investigação da morte do jornalista que evoluímos e chegamos a essa quadrilha que atua na Câmara de São Luís”, afirmou Barros.
Segundo ele, “o esquema tem um potencial bombástico”.
Se alguém ainda tinha dúvidas sobre o caso…

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.