terça-feira, 29 de abril de 2014

Depois de propor exclusão PDT da chapa comunista, Neto Evangelista faz média com o partido

Depois de um “puxão de orelha” da deputada estadual Valéria Macedo (PDT) hoje (29) pela manhã na Assembleia Legislativa, o deputado Neto Evangelista (PSDB) resolveu minimizar os efeitos da sua declaração a O Estado dando conta de que “o mais justo” seria a exclusão do PDT da chapa do comunista Flávio Dino.
Disse o deputado ontem (28): “Como Flávio Dino oferece palanque para dois candidatos a presidente da República, que são Aécio Neves e Eduardo Campos, minha opinião é que o mais justo seria a composição de uma chapa apenas pelo PSDB e PSB, partidos dos dois candidatos. Mais tarde discutiríamos quem ficaria com a vice e quem ficaria com a disputa pelo Senado. Mas o certo, no meu entendimento, seria uma chapa do PSDB com o PSB apenas”.
Em postagem no Facebook nesta terça-feira, no entanto – depois de uma longa conversa com a deputada Valéria Macedo, diga-se de passagem -, o tucano disse que não era bem isso que queria dizer.
“Em respeito a meus amigos que tenho no PDT [...] venho através desta rede social esclarecer: Não propus a exclusão do PDT na escolha do vice-governador. O que fiz foi uma análise da relação entre os presidenciáveis Aécio Neves e Eduardo Campos e a chapa da oposição. Com os recentes resultados da pesquisa que apontam uma queda da candidata do PT, disse que representantes dos dois candidatos no palanque de Flávio Dino era algo natural e importante. Tão natural quanto o pleito do PDT”, escreveu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.