domingo, 20 de abril de 2014

Páscoa: "Questões religiosas viram mercadoria", diz Dom Belisário

A Páscoa é uma das celebrações mais importantes para o Cristianismo. É a celebração da morte e ressurreição de Jesus Cristo. Tempo de entrega, paz e de muita alegria, comemorada pelos fiéis católicos do mundo inteiro. 

De acordo com arcebispo de São Luís, José Belisário, o período pascal é momento de reflexão e perdão. Em entrevista a equipe de reportagem de O Imparcial, Dom Belisário falou da Páscoa e de seu real significado na vida dos cristãos, e das mudanças que a celebração vem sofrendo ao longo do tempo. Segundo Belisário, este é um momento favorável para que as pessoas busquem mais a Deus. 


Qual é o verdadeiro sentido da Páscoa?
Na Páscoa cristã nós celebramos a morte e a ressurreição de Jesus, lembrando- nos que nós retomamos também a Páscoa judaica. A Páscoa cristã é sempre uma celebração de uma passagem de uma situação de escravidão para uma situação de liberdade. Na Páscoa cristã se busca principalmente essa passagem da morte para vida. 


Antigamente, como era celebrada a páscoa pelos fiéis? 
Eu diria o seguinte: a celebração da Páscoa tem uma parte que chamamos litúrgica, outra parte que chamamos mais de uma celebração cultural popular. A litúrgica tem modificado pouco através da história, sempre tem sido a celebração da ceia do Senhor, na quinta feira, a celebração da morte do Jesus na Sexta-feira Santa, e a vigília pascal do sábado para o Domingo de Páscoa. A celebração da Páscoa começa na quinta feira, é o chamado Tríduo Pascal. Já a celebração cultural popular da Páscoa, acontecia com as procissões com imagens onde se encenava a morte e a ressurreição de Jesus Cristo e hoje são mais os espetáculos ao vivo. 

O que mudou na celebração da Páscoa?
Liturgicamente falando mudou pouca coisa. Quanto aos costumes culturais, esses sim têm sofrido algumas mudanças, mais ligada à sensibilidade das pessoas. Há uma tradição especialmente da Península Ibérica, da Espanha e Portugal, de sempre encenar a Paixão de Cristo através de imagens. 
Tem a imagem de Nossa Senhora das Dores, a imagem do Senhor Morto e entre outros. E nós temos aqui no Maranhão resquícios, porém essa celebração tem enfraquecido e surgido esse tipo de celebração ao vivo e especialmente nos jovens. 
A Semana Santa por si mesmo é um drama, e como drama a gente logo transforma em teatro, eu acho interessante sim. 
No Brasil, temos em Pernambuco, acho magnífico, estive lá ano passado em Nova Jerusalém, um grande espetáculo. 
Aqui em São Luís já existe também esses espetáculos ao ar livre. Isso tudo é positivo, especialmente a pessoa que uma vez participa de uma teatralização nunca mais vai esquecer, quem assiste também. Mas quem participa, sente ele mesmo e dramatiza toda essa questão. Agora, a celebração Litúrgica tem se mantido. 
Essas mudanças acontecem pela própria mudança do mundo, a evolução. A urbanização, por exemplo. A maneira de celebrar culturalmente no tempo da colônia era um, a maneira de celebrar hoje é outra em termos culturais, agora em termos litúrgicos fundamentalmente tem se mantido firme. 

Como o senhor ver o sentido comercial da celebração da Páscoa?
Nós vivemos hoje em uma economia chamada do mercado, na qual todas as coisas às vezes são traduzidas em mercadoria. Questões religiosas viram mercadoria, é um desvio. APáscoa ela deve ser celebrada com alegria também. E isso significa ás vezes um almoço melhor com a família. Só dizer, que realmente não podemos esquecer que seria uma distorção transformar as celebrações religiosas em momentos de mercado”.

O que a Igreja perde com a comercialização?

Perde todo o sentido da Páscoa, pois se você transforma algo precioso em mercadoria. Imagina se você transforma um relacionamento amoroso em mercadoria. Acabou isso aí é prostituição, é uma distorção terrível.

Qual a importância da Páscoa em família?
A família é sempre o lugar mais importante para nós, da nossa intimidade, a nossa identidade. Eu acho que podendo celebrar em família é muito mais cristão.

Qual a mensagem da Páscoa?
Na Páscoa nós nos encontramos com aquilo que há de pior e de melhor no humano. O que há pior é a injustiça, então a injustiça sofrida por Cristo que é um inocente por excelência, é o que de pior pode existir. Mas também nós encontramos o que há de melhor, a entrega, o testemunho de valores que é o Cristo Jesus. Então nesse sentido a mensagem da Páscoa, para nós é sempre uma mensagem de alegria. E que apesar daqueles elementos negativos que são muitos, o que predomina é o positivo, nós não podemos ficar na Sexta Feira Santa nós temos que chegar à manhã de Páscoa.

Deixe uma mensagem aos maranhenses
A Páscoa é sempre uma mensagem de otimismo, não um otimismo assim simplório, mas um otimismo realista. O humano apesar de suas ambiguidades, o humano tem uma parte bonita e boa, e desde que Deus assumiu a condição humana, essa condição humana está salva. Então o que a gente deseja é que todas as pessoas, e famílias celebrem esse dia com muita alegria, e apesar dos sofrimentos que possam existir, lembremos que a vida vence a morte. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.