segunda-feira, 12 de maio de 2014

EXCLUSIVO! Blog apresenta primeiro estudo sobre eleição de deputados

Do Marco D'eça

Em parceria com o secretário Joaquim Haickel, um dos maiores especialistas na análise de quocientes eleitorais e prognósticos, o blog começa a publicar hoje série de posts com as chances de cada partido ou coligação na configuração que deverá se consolidar nas convenções. E apontará também quem é quem entre os prováveis eleitos


exclusivoO secretário Joaquim Haickel é hoje o maior especialista na definição de prognósticos e na análise dos coeficientes – ou quocientes – eleitorais e partidários. Seus estudos têm índices históricos de acertos na casa dos 85%.  Além de conhecer o universo dos coeficientes, Haickel tem a vantagem de participar ativamente da formação de coligações.
Por isso, fala com conhecimento de causa das chances de cada partido ou coligação.
Com base nos estudos de Haickel, o blog traçou os cenários mais prováveis para as eleições de deputado federal e estadual nas eleições de outubro – uma espécie de guia para lideranças e candidatos quantificarem suas chances.
O estudo trabalha hoje com um Quociente Eleitoral na casa dos 180 mil votos para deputado federal e 80 mil votos para estadual.
O secretário estima quatro cenários de coligação para o governo e quatro para a oposição – incluindo PSTU e PSOL, que o blog desprezará por entender que nenhum dos dois tem chances de eleger qualquer candidato.
Com base nas estimativas, os partidos governistas somariam 12 vagas na Câmara Federal, contra seis da oposição.
Na disputa pela Assembleia Legislativa, seriam, hoje, 28 vagas do governo e 14 da oposição.
Coligações governistas e suas vagas
A maior coligação federal governista estimada por Haickel é formada por PMDB, PV, PRB,PTB, PSD, DEM e PRTB, que tem potencial para buscar 1.160.000 votos, o que garantiria 7 deputados federais.
A mesma coligação se repete para a Assembleia, alcançando 1.081 votos, garantindo, assim, 14 vagas de deputado estadual.
As demais coligações governistas, na análise de Haickel também se repetirão para a Câmara e para a Assembleia, à exceção do PT, que deve disputar vaga isolada.
Neste caso, a relação de vagas seria a seguinte:
Coligação PSL/PSC/PRP: duas vagas de federal e cinco de estadual
PEN/PTdoB/PSDC/PMN/PHS/PTN/PROS: 2 federais e 6 estaduais
PT sozinho: 1 federal e 3 estaduais
Coligações oposicionistas
Joaquim Haickel estima que as coligações oposicionistas também se repitam na Câmara e na Assembleia -  a maior delas formada por PSDB/PCdoB/PSB/PR/SDD e PPS.
Este grupo, pela estimativa do estudo, elegerá 4 deputados federais e 10 estaduais.
A outra coligação oposicionista terá a seguinte formação e número de vagas:
PDT/PP/PTC/PPL: 2 vagas de federal e 4 de estadual.
Esta é a formação das bancadas maranhenses na Câmara e na Assembleia a partir deste primeiro estudo.
É claro que as coisas podem mudar até as convenções, o que levará a uma outra configuração de coligações. Mas os números e as chances de cada um terão pouca variação.
O estudo também já aponta quem é quem nos partidos com chances de se eleger.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.