domingo, 23 de novembro de 2014

Grupo de Pronta Intervenção se destaca como força especial de segurança no Maranhão

Visando consolidar a atuação da polícia federal no Maranhão, o Grupo de Pronta Intervenção (GPI), sob o comando do agente federal Fábio Tenório, é uma unidade especializada e segmentada de táticas especiais para agir de forma rápida e eficaz em casos de alta complexidade.

Criado no ano de 2009, o GPI é de abrangência interestadual, sendo ligado ao Comando de Operações Táticas (COT), em Brasília (DF) e subordinado a Superintendência Regional do Maranhão. A força especial desenvolve ações de intervenção imediata, no que tange mediações de conflitos de terras indígenas, reintegração de posse; assaltos a instituições financeiras; segurança de autoridades nacionais e internacionais; apoio operacional a grandes eventos; roubo ou sequestro de aeronaves, dentre outras competências.

O ingresso no GPI é voluntário, cuja avaliação consiste em testes físicos e psicológicos. Após a classificação, os candidatos aptos participam do  Curso de Técnicas de Intervenção (Ministrado pelo COT), em Brasilia (DF), abrangendo as disciplinas como Patrulha Urbana e Rural, retomada de edificações, Combate corpo a corpo, Armamento e Tiro, Operações menos Letais, Gerenciamento de Crises, Pronto Socorrismo, dentre outras.

No Maranhão, o GPI atua de forma incisiva na repreensão aos assaltos as intituições financeiras federais. Os agentes também prestam apoio ao Núcleo de Polícia Marítima, realizando patrulhamento na costa maritíma, sob o intutito de evitar e itervir o tráfico de entopecentes, contrabondo, descaminho e outros delitos.

A unidade especializada se destaca como uma das melhores estrturas de treinamento policial, tendo como referência as Forças Armadas da América. Além dos cursos de reciclagem em outros estados, os agentes paraticipam de treinamentos semanais na capital. “ O grupo de interveção, por se uma grupamento especializado e táticas peculiares, necessita de treinamentos periódicos com base na inteligência e precisão em suas atuações, possibilitando uma resposta energica e eficaz diante das diversas situações criminosas”, ressaltou o chefe do GPI.

O grupamento se evidncia ainda, pela utilização de tecnologias e armamento de ponta. Para Fábio Tenório, os grupamentos especiais são de suma importância, diante da crescente onda de violência. “A criminalidade está se organizando e se estruturando cada vez mais, e a policia precisa tomar a dianteira da situação, por isso, apostamos em treinementos intensivos e constantes estudos para apriomorar nossas técnicas de combate”, falou.  

 O chefe do GPI enfatiza ainda que o trabalho policial deve ser fortalecido  apartir da integração das forças de Segurança como um elemento potencial para desistrturas as grandes organizações criminosas. “ Ao longo do nosso trabalho, tivemos honrosas oportunidades de atuar ao lado dos demais  grupos especiais, como o Grupo de  Resposta Tática (GRT); Grupo Tático Áereo, Batalhão de Choque, entre outros, e percebemos como juntos podemos somar resultados ainda mais  benéficos para sociedade no combate a criminalidade”, disse.

Na carreira de policial federal há 10 anos, Fábio Tenório se destaca pelo profissionalismo e comprometimento no exercicio da profissão. Como chefe do Grupo de Pronta Intervenção (GPI), já coordenou grandes operações, que culminou na prisão de quadrilhas de assaltantes de instiuições financeiras e outros individuos considerados de alta periculosidade. 

Fábio Tenório e sua equipe estiveram presentes na Copa do Mundo 2014, realizando a segurança de autoridades nacionais e internacionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.