sábado, 13 de dezembro de 2014

JOSILDA BOGÉA CRIADORA DO GUESA ERRANTE É HOMENAGEADA NA EXPOSEGMA


Como parte de ações educativas e preventivas desenvolvidas pelo projeto Exposição de Segurança do Maranhão (Exposegma), destacando o Combate ao Uso de Drogas nas Escolas e nas Comunidades, o projeto também enfatiza o suplemento cultural literário Guerra Errante criado pela Josilda Bogea no ano de 2004, quando vinha incentivando a literatura na vida de muitos jovens.
        
O projeto Exposição de Segurança do Maranhão, que visa implantar um novo olhar na Segurança Pública através de exposições de trabalhos realizados, também trata de temas como valorização do policial, Combate ao uso de Drogas nas Escolas e nas Comunidades e, principalmente, o suplemento cultural literário Guesa Errante que aborda e incentiva a educação de jovens na literatura.
    A Exposegma é um projeto que tem o objetivo de incentivar os jovens de forma educativa e preventiva com intuito de aproximar as forças de segurança da sociedade civil. Com relação à melhoria da segurança, o projeto tem desenvolvido ações que fortificam a parceria continua da sociedade junto ás forças policiais, sempre com o foco de afastar os jovens do mundo do crime. 
    Durante o ciclo de atividades e temas discutidos com a finalidade de alcançar jovens nas escolas e nas comunidades, a exposição fez ainda, uma homenagem a Josilda Bogea, mentora do Suplemento Cultural Guesa Errante criado no ano de 2004. Essa atividade literária, que foi um dos temas exposto na ocasião, tem a capacidade de disseminar e suprir uma necessidade na educação de jovens com base na literatura. 
    
     
Josilda Bogea, homenageada durante a exposição, deixou um ciclo literário extenso que irá incentivar crianças, adolescentes e jovens na literatura. O projeto Guesa Errante é um caderno especial inserido na tiragem quinzenal do Jornal Pequeno, onde é retrato da arte em todas as suas expressões, abordando cinema, teatro, música, dança, entre outros. Contudo, o foco é a literatura maranhense, retratada por poemas, contos, romances, ensaios e críticas da ilha ludoviscense.
    
Para a idealizadora da Exposegma, a socialização da Guesa Errante nas escolas, irá expandir a perspectiva central do projeto de segurança. “O projeto literário nas escolas despertará o hábito da leitura como uma ferramenta de conhecimento que viabiliza a inclusão social desses jovens, afastando-os do mundo da criminalidade”, destacou Josilma Bogéa. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.