sexta-feira, 27 de maio de 2016

Homenagens marcam despedida ao músico Papete

Familiares, amigos e centenas de artistas se fizeram presentes para prestar a última homenagem ao cantor, compositor, poeta e instrumentista, José de Ribamar Viana, o Papete. O multiartista maranhense faleceu na madrugada de quinta-feira (26), em São Paulo, após lutar contra um câncer de próstata. O velório foi realizado nestasexta-feira (27), na Casa do Maranhão, no Centro Histórico ao som de muita música, recitais e diversas homenagens para lembrar o artista que partiu deixando um imensurável legado para a arte, música e a cultura do Maranhão.

O governador Flávio Dino compareceu ao velório para prestar suas condolências aos familiares e amigos do artista e ressaltou a importância de Papete. “A arte de Papete é especial para mim. Ele é um nome de grande significância para o Maranhão, sobretudo por sempre defender os nomes desta cultura por onde ia”, disse o governador. Flávio Dino pontuou que Papete “não poderá estar conosco nestes festejos, mas sua obra e memória estarão, sempre vivos”.

O secretário de Estado de Comunicação e Assuntos Políticos (Secap), Márcio Jerry, e o secretário de Estado de Cultura e Turismo (Sectur), Diego Galdino, também estiveram na solenidade. “Papete era uma figura singular na nossa cultura e será homenageado em todo o período junino do Maranhão”, disse Galdino. O arraial do Ipem levará o nome do artista e terá um espaço exclusivo à memória dele no festejo. O secretário informou ainda que o primeiro dia de programação, dia 17 de junho, será todo dedicado ao artista.

“Ele deixa, sem dúvida, um legado de imensurável valor para a cultura do maranhense. Papete trabalhou sempre voltado para as festas juninas e este será o primeiro ano em que não estará presente. Mas estará em nossa memória, em nosso coração e no daqueles que reconhecem o trabalho que ele desenvolveu”, ressaltou Gisele Paiva, viúva do artista. Ela lembrou do envolvimento de Papete com a arte local e os festejos juninos e que, mesmo doente, dizia que estaria no Maranhão para acompanhar as festas. “O que eu espero agora é que dêem continuidade ao trabalho dele, que mantenham viva a memória dele”, destacou.

Para o cantor e amigo Tutuca Viana, Papete foi um artista excepcional em obra e como defensor da arte maranhense. “Ele tinha um olhar muito sensível ao que se fazia no Maranhão e sempre impulsionou outros artistas. Descobria talentos e dava oportunidades quando ele percebia um artista nascendo. Era um cara do coletivo, sem vaidades. Um homem da cultura e pelo Maranhão”, disse.

Um grande conhecedor da cultura maranhense e defensor, assim traduz Chiquinho França sobre quem era o artista Papete. O músico instrumentista conta que há sete meses teve um encontro com Papete, quando de sua estada na capital e o convidou para um projeto artístico, o Som do Mará. “Ele de pronto aceitou e mostrou um entusiasmo por ser convidado a fazer parte desta iniciativa que tem como mote elevar a música local. Eu fiquei lisonjeado com o aceite dele. Papete é único e especial”, ressaltou.

O cantor Mano Borges ressaltou a tristeza por este primeiro São João sem o artista e as homenagens que devem ser feitas para lembrar seu legado. “Estamos acostumados com o Papete nesta grande festa da cultura maranhense e infelizmente ele não estará conosco. Mas nós saberemos lembrar o artista que ele sempre será e tudo que significa para a música e cultura maranhense”.

Fernando de Carvalho estava inconformado com a partida do amigo e ídolo. A história que mantém com a arte de Papete é peculiar e vem desde a infância. Fernando lembra do antológico Bandeira de Aço, um dos trabalhos mais proeminentes de Papete, que ele ouvia quando criança, por gosto do pai. “Eu nem sonhava em ser artista e quando entrei neste meio e ouvia as canções de Papete, aquilo tudo me levava de volta à infância. Tive a felicidade de trabalhar com ele e tê-lo participando do meu primeiro CD. E quando o Bandeira de Aço foi lançado em CD eu prontamente fui garantir o meu. Papete sempre esteve na minha memória afetiva. Sou fã incondicional, sou admirador e é uma perda muito triste para mim, para nossa cultura”, enfatizou.

A despedida para Papete reuniu muitos artistas que prestaram uma bela homenagem durante o velório. Amigos e colegas de arte entraram no salão da Casa do Maranhão entoando, em fortes vozes, as canções emblemáticas do artista como Engenho de Flores, Bandeira de Aço e outras. Os fortes sons dos pandeirões ecoaram na sala fazendo daquele momento triste um episódio de boas lembranças e alegria pelo que ele representou. Estavam presentes a mais esta homenagem, dentre outros, os artistas Josias Sobrinho, Gerude, Cecília Leite, o poeta e escritor de cordel Tibúrcio Bezerra, Célia Maria, Ronald Pinheiro.

Luta pela vida

Mesmo lutando contra o câncer, Papete conseguiu terminar a obra Senhores Cantadores, em que trata dos grandes nomes da cultura popular, principalmente do Bumba Boi do qual era profundo amante e estudioso. Natural de Bacabal, Papete mudou-se para São Paulo ainda jovem, aos 18 anos. Na capital paulista foi consagrado como cantor, percussionista e compositor de reconhecimento nacional e internacional, sem nunca deixar de prestigiar a sua terra natal, sendo presença garantida e esperada nos festejos juninos no Maranhão.  Em 1978 gravou o antológico disco da história da Música Maranhense: Bandeira de Aço. No repertório deste disco, Papete traz canções que se tornaram ícones do São João do Maranhão, como Boi da Lua e Catirina. Sua trajetória é notável e nos anos de 1982, 1984 e 1987, foi eleito um dos três melhores percussionistas do mundo. Papete faleceu aos 68 anos, em São Paulo, onde morava desde o ano de 1966.

Ainda não será desta vez!PSDB ´´força`` Neto Evangelista a adiar sonho de se tornar prefeito de São Luís

Então de repente,Neto Evangelista que sonhava em ser prefeito de São Luís,ver  seu partido PSDB fechar aliança com PPS em torno da pré-candidatura a prefeita  de Eliane Gama (PPS).

Nas eleições municipais de 2012,Neto que era vice na chapa encabeçada por João Castelo que tentava a reeleição,foi para a linha de frente, nos palanques,com a péssima administração do então prefeito Castelo,foi exposto a muitos nãos e vaias.Até ali tudo era válido,em nome do partido,pensando em seu futuro.

Em 2016,o ´´golpe`` dos tucanos de alta plumagem.O sonho de Evangelista,pelo menos para 2016,caiu por terra.

Se tucano trai tucano,imagine...

Dilma resistiu até ‘última bala’, diz Sarney em grampo de Sérgio Machado

Trecho inédito de conversa entre o delator Sérgio Machado e o o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado mostra os dois debatendo acerca do destino de Dilma Rousseff, então na Presidência.
Ambos reclamam do fato de Dilma permanecer no cargo mesmo em forte crise política, e dizem que a petista vai resistir “até a última bala”.
“Ela não sai (…) Resiste… Diz que até a última bala”, diz o ex-senador maranhense. Segundo Machado, os escândalos com o governo acabaram com “o ‘Lula presidente'”. Sarney concorda, dizendo que o petista estaria em depressão.
“Acabou o ‘Lula presidente'”, diz o ex-presidente da Transpetro. “O Lula acabou. O Lula, coitado, ele está numa depressão tão grande”, afirma Sarney. “O Lula. E não houve nenhuma solidariedade da parte dela [Dilma].”, completa Machado.
Em outro trecho da conversa, gravada em março de 2016 e revelada nesta quinta-feira (26) pelo “Jornal Nacional”, em que Sarney reclama das decisões do juiz Sergio Moro e afirma que há uma “ditadura da Justiça” em vigor no Brasil.
“Não teve um jurista que se manifestasse. E a mídia tá parcial assim. Eu nunca vi uma coisa tão parcial. Gente, eu vivi a revolução […]. Não tinha esse terror que tem hoje, não. A ditatura da toga tá f*“, diz Machado. “A ditadura da Justiça tá implantada, é a pior de todas!”, concorda Sarney.
“E eles vão querer tomar o poder. Pra poder acabar o trabalho.”, conclui o ex-presidente da Transpetro.
EDUARDO CUNHA
Há ainda, no trecho revelado, especulações a respeito do destino do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Sarney afirma que o Supremo Tribunal Federal não poderia afastar Cunha da presidência da Câmara.
“E quem é que assume a Presidência [no caso da saída de Michel Temer] se não tem ninguém?” pergunta Machado. “O Eduardo Cunha”, responde Sarney. “E ele não vai abrir mão de assumir”, rebate o ex-presidente da Transpetro.
“Não… No Supremo [Tribunal Federal] não tem. Não tem ninguém que tenha competência pra tirá-lo. Só se cassarem o mandato dele. Fora daí, não tem. Como é que o Supremo vai tirar o presidente da Casa?”, diz o ex-senador maranhense.
Os dois debatiam quem seria presidente caso Michel Temer, então vice de Dilma Rousseff, também fosse afastado do cargo.
Sarney diz que haveria eleições. Ele e Machado mencionam nomes como o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa ou o juiz Sergio Moro. Depois, concordam que o vencedor não seria o senador Aécio Neves (PSDB-SP), adversário de Dilma em 2014.”Não, não vai ser ele [Aécio] de jeito nenhum!”, diz o ex-senador.
A aposta de Sarney acerca do destino de Cunha, no entanto, provou-se incorreta. O áudio foi gravado em março de 2016, dois meses antes do afastamento do deputado não só da presidência da Câmara, como de seu mandato pelo STF.
GRAMPOS
Em outro momento, Machado, que grampeava ele mesmo a conversa com Sarney para obter um acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República, pede que o maranhense marque conversa entre ele e Renan Calheiros em local sem grampos.
“Faz uma ponte que eu possa, que é melhor porque tá tudo grampeado. Tudo, essas coisas. Isso é ruim”, diz Machado.

Presos que ordenaram incêndios a ônibus serão transferidos para presídios federais

Sãos dez presos já identificados como os mandantes das ações criminosas que resultaram em incêndios ou tentativas a 16 ônibus na capital que deverão ser transferidos a qualquer momento para presídios de segurança máxima fora do Maranhão.
IMG_0408
A informação foi dada pelo secretário de Segurança Pública, delegado Jefferson Portela. está sendo aguardado a resposta da Vara de Execuções Penais, que ficou com a responsabilidade de apreciar o pedido de transferência dos dez presos para presídios federais.
Só cinco já tiveram os nomes revelados e, dentre eles, Eliakim Davila Machado, o Sadrak, que figura como o principal líder das ações criminosas. Foi ele quem enviou áudios gravados por celular de dentro da penitenciária. A resposta da Justiça deve ser dada nas próximas horas.
Resultado de imagem para ônibus incendiado em são luis
Veja abaixo os nomes dos que irão para presídios federais:
Wandeley Moraes (Paiakan)
Carlos César Viegas (Carlito)
Henrique Borges Chagas (Black)
Eliakim Davila Machado (Sadrak)
Leandersson Nonato dos Santos (Léo Pirento)

Fonte: Luis Cardoso

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Na guerra contra os criminosos, polícia fecha o cerco e já prendeu 14

image


Policiais militares, civis e do Corpo de Bombeiros intensificaram o cerco aos bandidos que atearam e ainda tenta tocar fogos nos ônibus. Pelo ar, os helicópteros do CTA cruzam os céus da Região Metropolitana abortando a ação da facção que incendiou ontem cinco coletivos e tentou hoje em mais dois.
image
Agora à tarde, o cerco foi feito no Ipase de Baixo, onde bandidos estavam reunidos para colocar em prática o incêndio aos ônibus que circulam naquela região. Na foto acima, o momento em que o delegado Augusto barros abordou um deles.
A polícia teve muito trabalho porque muitos deles se esconderam na lama, como mostra a foto abaixo.
image
A Secretaria de Segurança Pública informou que 14 pessoas foram presas e que duas tinham sido presas em 2014 por envolvimento no mesmo crime, que resultou na morte da menina Ana Clara, de apenas seis anos.
image
Assembleia libera militares
Para colaborar com a ação da polícia, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho, liberou todos os militares que fazem a segurança daquele poder.
“Estamos atentos aos últimos fatos ocorridos na cidade de São Luís, e não vamos medir esforços em apoiar o governador Flávio Dino, no combate à violência”, disse Coutinho.
image

terça-feira, 3 de maio de 2016

Festejo de Santa Maria

Quando chega o dia 27 de Maio, católicos vindos de diversas partes da Raposa, realizam homenagens e participam da programação do Festejo de Santa Maria. Logo as 19:00, é feita a Abertura, com fogos de artifício que poderar ser vistos por todo bairro de Cumbique.
Festejo Santa Maria – Cumbique
Tema: “Com Maria contemplamos o rosto da misericórdia de Deus e da criação”
De 27 a 31 de Maio de 2016
PROGRAMAÇÃO:
Dia 27/05/16 (6ª feira)
19:00 – Abertura do Festejo
Presidente: Pe José Raimundo
Responsável pela liturgia geral:   Comunidade Santa Maria
Dia 28/05/16 (Sábado)
19:00 – Celebração da palavra
Presidente: Diácono Antônio
Responsável pela liturgia geral: Setor São Pedro
Convidados: Comunidade Santo Antônio (Boa Vista) e Santa Ana (Cumbique)
Dia 29/05/16 (Domingo)
19:00 – Celebração da palavra
Presidente: Seminarista Brayan
Responsável pela liturgia geral: Comunidades: Nossa Sra. Aparecida, Nossa Sra. de Guadalupe e Terço dos Homens (Comunidade Nossa Sra. Da Vitória)
Convidados: Comunidade São Luís Scrosoppi (Pirâmide)
Dia 30/05/16 (2ª feira)
19:00 – Celebração da palavra
Presidente: Deybson
Responsável pela liturgia geral: Setor São Tiago
Convidados: Comunidade São Pedro (Porto do Mocajituba)
Dia 31/05/16 (3ª feira)
17:30 – Concentração da procissão na casa de Dona Maria José
18:00 – Saída da Procissão
Responsável pela procissão: Setor São João Evangelista
Após a procissão acontecerá Santa Missa
Presidente: Pe José Raimundo
Responsável pela liturgia geral:   Setor São João Evangelista
Após a missa acontecerá o Leilão.