sexta-feira, 10 de março de 2017

Moradores do Residencial Camboa aprovam operações policiais na área

“Eu estava sem esperanças de morar com tranquilidade e triste por não poder aproveitar o apartamento que ganhei. Quando a polícia veio aqui e fez esse trabalho, vi que posso sim viver em paz no meu lar”. O relato é da aposentada Inês Alves, 88 anos, que mora no Residencial Camboa há nove anos. Ela testemunhou a operação realizada pela polícia, na última quinta-feira e disse se sentir mais segura a partir de agora.

A ‘Operação PAC Rio Anil’ reuniu efetivo de todo o sistema de Segurança envolvendo 1.060 policiais na vistoria dos 288 apartamentos do residencial.

O resultado foi a prisão de cinco pessoas, sendo dois líderes de grupos criminosos; apreensão de cinco adolescentes; captura de seis armas de fogo de alto calibre; 1,5 quilos de maconha prensada; veículos e um lote de produtos químicos.

Para o autônomo Valdenir Gonçalves, 42 anos, a operação policial era uma necessidade urgente e vai tornar mais tranquila a vida de quem mora no condomínio. “A gente estava precisando de uma melhora aqui na segurança e vê a polícia bem na nossa porta é uma esperança de dias melhores. 

Tenho filhos pequenos e também adolescentes e penso no futuro deles. Quero o melhor para eles e ter segurança é o mínimo para que as coisas ruins não alcancem a gente”, ressaltou. Valdenir mora há sete anos no residencial com esposa e os quatro filhos com idades entre seis anos e 13 anos.

O armador Emanuel da Silva Penha, 38 anos, tinha uma pequena venda de lanches em frente ao condomínio e conseguia tirar o sustento da família e estar perto dos filhos. Com os índices de violência no local precisou encerrar o trabalho. “Eu fui impedido de trabalhar por causa dos problemas que a gente tinha com muita violência. A gente aqui só tem a ser grato por esse trabalho do Governo que considerou nosso condomínio e viu que a gente precisava de segurança. Graças a Deus que agora a gente pode respirar em paz”, destacou o morador.

Um dia após o cerco policial, viatura fixa da Polícia Militar montava guarda no entorno do condomínio. O trabalho do efetivo é de prevenção, monitoramento e também combate, se for o caso, para conter ocorrências. Os policiais ficam em ponto estratégico onde possuem visão ampla das principais entradas do residencial e bem à vista dos moradores.

“Para qualquer eventualidade, os moradores têm a segurança de nos ver por perto e rapidamente nos acionar. Estamos aqui para garantir esta tranquilidade a eles”, disse um dos militares de prontidão.

Tranquilidade e segurança também para o carpinteiro Ivan de Oliveira, 30 anos, dono de apartamento no condomínio. Ele relata que o cenário no local era de guerra e os moradores viviam sob a lei do crime. Para ele, a presença da polícia é a certeza de dias mais tranquilos. “Estava demais aqui a criminalidade. 

Eu tenho meus filhos e tinha muito medo de acontecer alguma coisa. Eu espero que a polícia fique sempre por aqui, por que aqui tem gente honesta, de bem que só quer trabalhar e viver em paz com suas famílias”, pontuou o morador.
 
Investigação
 
Denúncias dos próprios moradores apontavam o livre comércio de tráfico de drogas e uma situação de violência e intimidação instaurada no local. A partir de investigação policial foram identificados líderes de quadrilhas e pontos de venda de drogas. Marcada a operação, o condomínio foi totalmente cercado e a quadrilha desarticulada. Para impedir que os criminosos retornem, o policiamento, que já era regular na área, foi intensificado, explica o subcomandante de Polícia Militar, coronel Jorge Luongo.
 
“O plano de ação nesta área inclui o policiamento de rua e monitoria mais intensos. As equipes se revezam para que o local e entorno sejam cobertos 24 horas, todos os dias. Dessa forma, a polícia vai manter a tranquilidade, a segurança e a paz dos moradores”, enfatizou coronel Luongo. A Segurança mantém dois policiais na área em viatura fixa em apoio à ronda permanente que já atuava no bairro.
 
Ação prossegue
 
A operação ‘PAC Rio Anil’ foi realizada em ação conjunta das policias Civil, Militar, Corpo de Bombeiros, Serviço de Inteligência com apoio do Centro Tático Aéreo (CTA) e Perícia Criminal e é uma das maiores já executadas pela Segurança, integrando as polícias.

O trabalho promovido no Residencial Camboa pode se estender a outros residenciais incluídos no programa ‘Minha Casa Minha Vida’ do PAC. O objetivo é conter a criminalidade nestes locais, que, segundo relatos de moradores, concentram muitas ocorrências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.