quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Mulher que foi obrigada a caminhar nua pelas ruas de Pedreiras fala pela primeira vez

Nesta terça-feira, fez 5 dias que aconteceu o bárbaro assassinato no interior de um motel, localizado na Travessa Maneco Rego, em Pedreiras (MA). Luciano Luan Lopes, 23 anos de idade, assassinou brutalmente o idoso identificado como Raimundo Mourão da Silva, de 78 anos de idade. Além de matar o idoso com as próprias mãos, ele agrediu sua ex-companheira e a arrastou completamente despida, por diversas ruas do centro e pela área do Mercado Central da cidade. Horas depois de cometer o crime, o assassino foi preso pela Policia Civil em um sitio localizado nas proximidades do Bairro São Benedito.

E hoje, dia 10, a ex-companheira do Luciano Luan, compareceu a 14ª Delegacia Regional, em Pedreiras, para prestar esclarecimentos para a delegada que está acompanhando o caso. Na oportunidade, a vítima foi entrevista pela imprensa local e contou detalhes dos momentos difíceis que passou na mão de Luciano.

Repórter – Como era esse relacionamento? 

Vitima - Ele nunca me colocou dentro de uma casa, eu sempre morei com minha mãe.

Repórter – Vocês tem uma filha?


Vítima - Temos uma meninazinha, que vai fazer 1 ano agora, no dia 18.

Repórter – É verdade que se comenta, que ele era obcecado por você?

Vítima – Demais. Ele me ameaçava, ele sempre dizia que se me pegasse com outro homem, ele matava eu e o homem; sempre ele dizia.

Repórter - Mesmo sem te assumir?

Vítima - Mesmo sem me assumir e sem me dar nada; nunca ele me deu nada, nenhum centavo, nem pra filha dele, sempre quem sustentou eu e minha menina foi eu e minha mãe.

Repórter – Como foi que você conheceu esse rapaz?

Vítima - Eu conheci ele aqui mesmo, em Pedreiras.

Repórter - Segundo informações, ele tava tentando alugar uma casa pra vocês morar juntos; ele teria até arrumado um emprego pra isso, você sabia desse plano dele de morar junto com você?

Vítima - Não! não!  Isso aí, eu não sabia, não. O povo diz, que ele que ia me colocar dentro de uma casa, mas ele nunca me colocou.

Continua...

Repórter – Ele chegou a agredir você outras vezes?

Vítima - Já! Já tinha até um Boletim de Ocorrência aqui (na delegacia), que eu vim pedir medida, providência, para ele ficar afastado de mim. Não foi a 1º vez que ele fez comigo.

Repórter - Como está seu estado de saúde ?

Vítima - Já tô bem melhor, graças a Deus. Só estou um pouco doída. Acho que das pancadas, mas tô bem melhor.

Repórter – Ele usou algum objeto, alguma arma pra agredir você?

Vítima - Não, só mesmo  os  socos e me tacando na parede.

Repórter – O percurso que ele fez com você, ali, pela região do mercado central, inclusive varias pessoas presenciaram aquela cena, ele chegou a falar alguma coisa pra você, porque que ele estava fazendo aquilo?

Vítima - Ele disse que era obcecado por mim, dizia que sempre que me pegasse com um homem me matava e eu tive foi sorte dele não ter me matado.

Repórter – Devido a tantas agressões na sua face, na cabeça, você fez algum exame? Uma tomografia, por exemplo?

Vítima -  Fiz, mas não deu nada, fiz lá no (Hospital do Dr.) Walber.

Repórter – Você ainda voltaria pra ele?

Vítima - Não, não quero mais nem ver ele na minha vida, nunca mais! O que ele fez comigo foi muito humilhante, pra mim me botar daquele jeito no meio da rua.

Repórter - Você ainda ama ele? Você gosta dele?

Vítima – Não, de tanta coisa que ele me fez, foi acabando todo sentimento.

Repórter – O que você espera que a justiça faça, referente ao seu caso e referente ao idoso que perdeu a vida?

Vítima - Eu quero que tenha justiça, quero que ele fique lá, pro resto da vida dele.

Luciano permanece preso, a disposição da justiça. Ele também foi entrevistado.


Fonte: Carlinhos Filho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.