segunda-feira, 16 de julho de 2018

Centro de São Luís recebe maior volume de obras de requalificação dos últimos 30 anos

O prefeito Edivaldo, a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, e o superintendente do instituto no Maranhão, Maurício Itapary, acompanharam de perto neste sábado (14) o andamento dos serviços de requalificação do Centro de São Luís. Considerado um dos maiores investimentos de revitalização realizados na região nos últimos 30 anos, o trabalho na área segue avançando dentro do cronograma previsto. A obra tem como reflexo a preservação de importantes espaços que referenciam a capital como Patrimônio da Humanidade.

Os serviços, executados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com a Prefeitura de São Luís, contemplam as Praças Pantheon, Deodoro, as alamedas Silva Maia e Gomes de Castro, além da reforma da Rua Grande e da Praça Dom Pedro II e o seu entorno. São mais de R$ 50 milhões em investimentos somando o conjunto de serviços em andamento e as obras já entregues.
 
Durante a vistoria, o prefeito Edivaldo destacou a grandiosidade do trabalho que está sendo feito na região. "O Centro Histórico de São Luís tem recebido atenção especial da nossa gestão, e essa obra de requalificação urbanística do Iphan, realizada com apoio da Prefeitura de São Luís, é um exemplo. 
 
Aqui estão sendo reformados símbolos da cidade, a exemplo das praças Deodoro, Pantheon, as alamedas Gomes de Castro e Silva Maia, a Rua Grande e a Praça Pedro II. Em breve, vamos iniciar também a reforma do Largo do Carmo, em mais uma parceria com o Iphan. 
 
Em trinta anos, esse é o maior investimento feito na recuperação do patrimônio histórico de São Luís. É uma obra muito importante para impulsionar a economia no maior centro de comércio da capital e para impulsionar o turismo na cidade. 
 
Grande legado do Iphan e da Prefeitura para São Luís", enfatizou, o prefeito Edivaldo que esteve acompanhado da primeira-dama Camila Holanda e do vice-prefeito, Júlio Pinheiro e de secretários municipais.
 
"São Luís é reconhecida como patrimônio mundial pela Unesco, e nossa responsabilidade como órgão de preservação é muito grande e não medimos esforços para que esse patrimônio público fosse revitalizado", reiterou a presidente do Iphan nacional, Kátia Bogéa. 

A intenção da obra é restituir o espaço urbanístico à cidade, em conjunto com o maior complexo comercial, que é a Rua Grande. "São obras estruturantes para melhorar as condições do Centro Histórico", reafirma Kátia Bogéa. 

O superintendente do Iphan-MA, Maurício Itapary, aponta o simbolismo da parceria na obra de requalificação do Centro e entorno. "Essa parceria Iphan e Prefeitura é extremamente proveitosa para a cidade e para a população. As obras seguem o cronograma esperado e, sem dúvidas, são de grande importância para a preservação do patrimônio histórico de São Luís. É um projeto extremamente importante para a recuperação do Centro Histórico e externo meu agradecimento à parceria da Prefeitura de São Luís", destaca.

A região do Centro é importante pelo que representa para a história da cidade e por compreender o maior centro comercial de São Luís. As áreas estão ganhando novo reordenamento do espaço urbano, contemplando pedestres e possibilitando maior interação social. São diversas ações de urbanismo e arquitetura com fins a revitalizar e recuperar todo o trecho.

A obra de Requalificação Urbanística no Complexo Deodoro contempla a realização de ações de drenagem e de tratamento sanitário, colocação de novos calçamentos, mobiliários e iluminação, fiação subterrânea, dutos de passagem de fibra ótica, banheiros públicos, sinalização, acessibilidade total, entre outros serviços. 

A área já conta com um conjunto de caramanchões – espaço de vivência que vai contar ainda com bancos e servirá para sombreamento - obra segue com a construção de muro de arrimo no entorno, polimento e lapidação do piso, instalação de mobiliário urbano e pavimentação da pista de rolagem com piso intertravado.

As praças vão ganhar novos mobiliários urbanos, com bancos de pedras de lioz e lixeiras. Para os espaços, é proposta ainda uma nova configuração da iluminação pública, com a utilização de luminárias mais eficientes. 

A obra favorecerá a acessibilidade, com faixas de pedestres, rampas nas calçadas com contrapiso em concreto, além de sinalização tátil. Os espaços ganham ainda bancos de madeira com encosto e contarão com amplas áreas de sombreamento e diversas árvores nativas, sendo conservadas as existentes.
Frequentadora do centro da cidade, a geógrafa Ângela Almeida, 60 anos, defende a revitalização da área por considerar este um dos mais significativos espaços de vivência da cidade. "Aqui não era mais uma praça e eu, que todos os dias venho para cá, ficava triste de ver um belo cartão postal ocupado de forma inadequada. 

O que a gente espera que seja entregue a nova Deodoro e que todos preservem um patrimônio que é nosso. Que a população reconheça esse grande trabalho que está sendo feito e ajude a manter", disse ela, que diariamente vai ao local por morar nas proximidades e acompanhar as netas à escola.
MAIS OBRAS
A obra de requalificação urbanística da Rua Grande vai promover a recuperação das redes subterrâneas de eletricidade; drenagem profunda e esgotamento sanitário; novo conjunto de postes metálicos com iluminação de led; fiação elétrica subterrânea retirando das fachadas dos imóveis; pavimentação de toda a rua com piso de granito nas laterais, blocos intertravado no piso central e marcação de calçada, mantendo nivelamento e contemplando acessibilidade.
No projeto de reforma e restauração da Praça Dom Pedro II e seu entorno, incluindo a Avenida Pedro II e a Praça da Mãe d'Água, estão contemplados serviços como a recomposição de toda a pavimentação em pedra portuguesa; iluminação substituída e ampliada com novas instalações; mobiliário urbano e lixeiras; além de projeto paisagístico com preservação das espécies existentes e complementação com outras novas.

A fonte luminosa da Praça da Mãe d' Água e a escultura, de autoria do maranhense Newton Sá, serão recuperadas com limpeza mecânica e química, desobstrução dos drenos de água, camada de proteção e polimento para preservar o bronze, troca de tubulações, colocação de bancos, iluminação reformulada com tom artístico e projeto paisagístico. A obra está na fase de conclusão do pavimento do perímetro da Avenida Pedro II e parte central da praça onde fica a escultura da Mãe d'Agua.

PARCERIA

A série de serviços de recuperação de áreas públicas históricas de São Luís se consolidou em 2015, com a ampla obra de recuperação da Praça da Alegria, seguindo com reformas do Teatro Artur Azevedo, Palácio Cristo Rei, Fórum Universitário (prédio dos cursos de pós-graduação em Direito da Universidade Federal do Maranhão), Casarão Tech da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti).

O pacote contempla, ainda, revitalização do anexo do curso de História da Universidade Estadual do Maranhão, fachada do Solar dos Belfort (antigo Hotel Ribamar) e revitalização do Museu de Artes Visuais – estas já concluídas e inauguradas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.