quarta-feira, 10 de abril de 2019

APRESENTAÇÃO NA SSP DE 10 SUSPEITOS PRESOS PELA “OPERAÇÃO ALVO CERTO” E APREENSÕES DE OBJETOS E DOCUMENTOS EM ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA NA CAPITAL

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP), por meio da Polícia Civil apresentou no Auditório Leofredo Ramos, por meio da “Operação Alvo Certo”, resultando na prisão de 10 acusados por práticas em ações de crimes na região metropolitana de São Luís. Dentre as ações de crimes foram realizados além dos 10 cumprimentos de prisão, mais 04 cumprimento de busca e apreensões, destes realizados também em escritórios de advocacias. O grupo é apontado ainda por envolvimento com o crime organizado.
Durante a apresentação dos criminosos na SSP, o Delegado Geral de Polícia Civil, Leonardo Diniz repassou que Os criminosos foram presos durante a operação, que envolveu 83 policiais. Foram ser cumpridos, 14 cumprimentos de Mandados de Prisões, sendo que obtiveram sucesso em 10 prisões. Nesta fase foram apreendidos diversos cadernos de anotações contendo informações sobre as ações do controle do tráfico; celulares e notebook, cadastro de integrantes de facções criminosas. A Operação Alvo Certo, não visou somente na apreensão de objetos ilícitos, como drogas e armas, mas os presos, possuem uma função essencial nas facções, pois elas são responsável pela movimentação financeira das facções. Os suspeitos foram identificados como:
Dário Oliveira, preso no Cohatrac. Ele foi preso com cocaína, com cerca de meio quilo da droga, avaliada em  12 mil reais. Rubenal Filho, preso no Pirapora; Johnyson Gomes, preso em São José de Ribamar; João Carlos Santos, preso no Tirirical; Janaína Serra, presa no Cantinho do Céu; Robson Douglas Oliveira, preso no Sacavêm; Suena Gusmão Cabral, presa na Vila Ryod; Lilian Serra, presa no Coroado; Lilian Rodrigues, do cantinho do céu e Davi Andrade, preso no Cantinho do Céu.
A segunda fase da operação está relacionada à demais apreensões, por conta do Cumprimento dos Mandados de Buscas e Apreensões, onde tiveram como alvo, 04 Mandados de Busca e Apreensão; estes realizados em escritórios de advocacias e na residência de advogados, em São Luís. Foram apreendidos documentos, celulares e notebooks. Nos próximos dias outros cumprimentos serão executados, por conta das investigações nas apreensões realizadas com as facções, como nas apreensões nos escritórios de investigações. As investigações terão ainda andamento, não sendo inoportuno citar os nomes dos suspeitos. Um representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), acompanhou as apreensões nos locais citados. Existe a suspeita, que os escritórios poderiam estar envolvidos com as facções criminosas.
Ainda durante a coletiva fora citado pelo Delegado Gil Gonçalves, do Departamento de Combate ao Crime Organizado, (DCCO), que “Executamos a operação, onde logramos êxito com as 10 prisões e no cumprimento dos Mandados de Buscas e Apreensões. As apreensões renderam cadernos de anotações com informações sobre as ações do controle do tráfico; celulares e notebook. Conseguimos mapear pessoas que estavam relacionadas diretamente a estas facções e exerciam alguma função de relevância com essas facções criminosas. Em suma, nessa primeira fase onde foram presos os 10 acusados, aconteceram prisões no Cantinho do Céu, onde foram presos 03 pessoas. Aconteceram prisões no bairro do São Raimundo e demais bairros da capital”, informou o delegado.
O Delegado Geral da Polícia Civil, o Delegado Leonardo Diniz pontuou, que “Operação Alvo Certo, efetuada pela Polícia Civil, realizou operações tanto aqui na capital, com a operação pela Departamento de Combate ao Crime Organizado (DCCO), por conta do Delegado Gil Gonçalves. A outra operação fora realizada pela Superintendente Estadual de Investigações Criminais (SEIC), onde o Superintendente Carlos Alessandro, por meio da Decrif, prendeu em São Domingos do Maranhão, o acusado, Ivar Torres Azevedo e aprendeu com ele, 05 armas de fogo. Em outra ação fora apreendido outra arma de fogo.
Mais prisões e apreensões da SEIC em São Domingos do Maranhão

Presente também na apresentação, o Superintendente da Seic, Carlos Alessandro relatou, “O Ivar Torres Azevedo foi preso no interior de sua residência, no município de São Domingos do Maranhão. Ele foi preso com 05 armas de fogo, sendo elas: 02 rifles, 01 calibre 44, e outro 38. Dois revólveres calibre 32 e outra carabina. 

A Polícia teria apreendido também baterias estacionárias, que haviam sido subtraídas de uma empresa de Telefonia celular. Fora também realizado o Cumprimento de Prisão contra João Filho, mas na oportunidade, ele não foi encontrado. Mas fora apreendido em sua casa, uma arma de fogo, de calibre 20. Suspeita-se, que a dupla estaria abrigando acusados de assaltarem agências bancárias no Maranhão. Os dois pontos poderia estar sendo usado como base ou refúgio para assaltantes da região” ponderou o superintendente. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.