terça-feira, 21 de maio de 2019

Três organizações criminosas se unem para tentar desestabilizar Jefferson Portela

Pelo menos três organizações criminosas fizeram um pacto dias atrás para tentar desestabilizar o Secretário de estado da Segurança Pública, Jefferson Portela.
A estratégia inclui ataques orquestrados contra o titular da SSP-MA, usando inclusive setores da imprensa, sobretudo blogs noticiosos, para prejudicar o trabalho de Portela, e dessa forma, desgastá-lo perante a opinião pública.
A primeira “Ocrim” é de conhecimento público, encabeçada pelo delegado afastado e prestes a ser expulso do quadro da polícia civil do Maranhão, Thiago Bardal. Esse grupo criminoso atuava no contrabando e possuía também relação com assaltantes de banco.
A segunda organização do crime é liderada por um ex-deputado estadual com grande trâmite entre delegados e outros braços remanescentes na própria SSP, além de influentes advogados. Essa “Ocrim” é a mais árdua opositora da gestão de Jefferson.
Já a terceira organização criminosa diz respeito a um grupo que atua com maior concentração no campo político, junto às prefeituras maranhenses. Encabeçada por um influente político de mandato, que tem medo de ser preso e seu castelo ruir.
Essa terceira “Ocrim” é a mais perigosa do Maranhão, vai da agiotagem à lavagem de dinheiro público. O seu líder é conhecido em todo o Estado pelo poderio financeiro, por bancar campanhas e depois saquear as prefeituras por meio de direcionamento e superfaturamento de licitações.
Este político consegue tirar todo o seu dinheiro investido numa disputa eleitoral através de contratos de prestações de serviços junto às prefeituras, que vão desde fornecimento de medicamentos, merenda escolar, perpassam por asfalto, estradas vicinais, construção de prédios públicos, material de expediente, e vão até, aluguel de máquinas e carros de passeio.
Essa quadrilha de fraudadores utilizaram-se da prática de notas fiscais fictícias ou “frias”, que são aquelas nas quais os serviços declarados não são prestados ou os produtos discriminados não são entregues.
– Motivações
O primeiro ‘bando’ sofreu sua maior baixa após a prisão de Thiago Bardal, em fevereiro de 2018; A segunda “Ocrim” foi abalada com a não reeleição do tal deputado estadual, com isso a organização perdeu folego no submundo do crime; E esta terceira organização criminosa, já investigada e prestes a ser desbaratada, teme que seu poderio político e financeiro desmanche com a iminente deflagração de uma operação da SSP-MA.
Por essas, e outras razões não citadas, as três Ocrim’s têm motivos de sobra para atuarem incessantemente contra a permanência de Jefferson Portela na Segurança Pública do Maranhão.

Fonte: Domingos Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.