quarta-feira, 8 de junho de 2011

l80 dias sem Ribamar Reis

Ribamar Reis: 64anos de Maranhensidade

 Aos 64 anos de idade, transpirando poesia, cultura popular e história e ainda atracado às bênçãos de seu padrinho-mor - São José de Ribamar, extasiado de Maranhensidade, José Ribamar Sousa dos Reis nos deixou , com o coração inteiro, a defesa do que chamamos coisas de nossa gente.
Escritor cuja obra, inconfundivelmente, era símbolo da Maranhensidade, coisa que se não tomarmos cuidado foi ele quem inventou, Reis era esse amigo, era esse parceiro, de seus filhos, de seu torrão, de seus amores. Em suas veias corria o sangue de inesquecíveis bardos que também marcaram a literatura deste país, dentre eles Trajano, Francisco Sotero, Sotero Júnior e Maria Firmina dos Reis, parentes nobres de seus conhecimentos e sua descendência. 
O economista e escritor José Ribamar Sousa dos Reis ocupava a cadeira 56 do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão, sendo indicado pelos Confrades Maria da Conceição Ferreira; Pedro Rates de Santana; Edson Garcia Ferreira; Eloy Coelho Neto e Raimundo Nonato Travassos Furtado, aprovado em Sessão do dia 25 de fevereiro de 1981 e comunicado através do ofício nº. 07/81, datado de nove de março de 1981. Tomou posse como Membro Efetivo em 29 de abril de 1981.
Historiador, pesquisador, escritor e poeta com diversos livros publicados dos quais se destacam, Poesias: Marcas; Verdade e Esperança; Lance de Rumo; Flor Mulher e Recital Poético (CD).
 Ensaios: Bumba-meu-Boi, O Maior Espetáculo Popular do Maranhão – Três edições esgotadas; Bumba-Boi – Alegria do Povo; Folclore Maranhense – quatro edições esgotadas; Feira da Praia Grande – duas edições esgotadas, Raposa: Seu Presente, Sua Gente, Seu Futuro (Perfil Psicossocial dos Municípios Maranhenses – Projeto Piloto); Newton Pavão – Mestre das Artes; Contos da Ilha; São José de Ribamar: A Cidade, O Santo e sua Gente; João Chiador, 50 Anos de Glória, Meio Século de Cantoria; Praia Grande, Cenários: Históricos, Turísticos e Sentimentais; ZBM: O Reino Encantado da Boêmia, São João em São Luís: O Maior Atrativo Turístico-Cultural do Maranhão; Sertão da Minha Terra, A Saga das Quebradeiras de Coco (contos); O ABC do Bumba-Boi do Maranhão, duas edições esgotadas; Amostra do Populário Maranhense; Terreiro do Riacho “Água Fria” (novela); Carimã (contos); Folguedos e Danças Juninas do Maranhão; Mãe Tomázia (contos).
Inéditos: Ilha de São Luís: Processo de Metropolização; São Pantaleão / Madre Deus: O maior Pólo da Cultura Popular São-luisense; Os Fuzileiros da Fuzarca: Relíquias da Batucada Maranhense; As Maiobas: A Capital do Bumba-Boi da Ilha; De Pericumã a Cumã (contos-ficção/realidade); O Pajé Curador de Canelatiua (contos-ficção/realidade); Da Casa das Tulhas a Feira da Praia Grande; Brincadeiras Populares do Maranhão; Baixada Maranhense em Prosas e Versos; Mapeamento das Manifestações Culturais do Estado do Maranhão; Dicionário da Maranhensidade (Lingüística Histórica); A Saga de Seu Bento: O Retirante (novela) e Trincheira da Maranhensidade em Artigos e Crônicas.


* 22 de março de 1947 + 07 de dezembro de 2010

Um comentário:

  1. Bem lembrado garoto....O povo tem memória curta. Saudoso Poeta!

    ResponderExcluir

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.