terça-feira, 2 de julho de 2013

30 anos sem relação Governo/Prefeitura – quem fez o quê por São Luís

O Maranhão teve até 1985, com o prefeito Mauro Fecury, uma administração em São Luís alinhada administrativamente ao Governo do Estado.
Desde então, todas as gestões na capital maranhense foram, de uma forma ou de outra, hostis ao governador.
Gardênia Castelo, eleita em 85, administrou a cidade fazendo oposição ao então governador Epitácio Cafeteira (1986/90) e ao então presidente da República, José Sarney. E deu no que deu, como a história mostra.
Sucessor de Gardênia, o pedetista Jackson Lago (1989/1992) também esteve na oposição a Cafeteira – embora tenha saído de seu secretariado – e ao sucessor deste, Edison Lobão (1990-1994).
O governo Cafeteira construiu a Avenida os Holandeses, o viaduto do Outeiro da Cruz , concluiu a Avenida dos Africanos e o Aterro do Bacanga, além da nova ponte do Ipase. João Alberto, que assumiu por nove meses, fez o canal da Raimundo Corrêa e o da Macaúba. Lobão fez a avenida Litorânea.
Jackson Lago tem como principal intervenção urbana a macrodrenagem e recuperação asfáltica da Avenida Kennedy.
Ele elegeu como sucessora Conceição Andrade (1993/1996), que igualmente se manteve na oposição aos governadores – e chegou a romper com a própria oposição, em 1996, tentando criar uma espécie de terceira via.

Viaduto da Cohama, um dos quatro construídos por Roseana
A principal obra de Conceição Andrade foi o início do Sistema Integrado de Transporte Coletivo, com a construção do Terminal de passageiros do Bacanga. Ela asfaltou também os bairros do Coroado, Areinha e Vila Palmeira
Em 1994, Roseana Sarney é eleita governadora, e sempre tentou parceria administrativa com os prefeitos da capital.
Em seu governo, para o qual foi reeleita em 1998, iniciou o processo de reurbanização de São Luís, que resultou nos viadutos do Calhau, da Cohama, da Cohab e o da Ivar Saldanha, concluído por José Reinaldo (2002/2006). Roseana fez ainda a Lagoa da Jánsèn, duplicou a estrada do Araçagy e a de São José de Ribamar, até o Maiobão; recuperou a estrada da Maioba e o Centro Histórico. Construiu a Avenida Ferreira Gular e a Luis Eduardo Magalhães, além de uma série de reurbanizações em bairros da capital, com os chamados “Vivas”.
Nos oito anos de mandato, Roseana conviveu com Conceição, Jackson e Tadeu Palácio. Em 2000, chegou a firmar parceria não só administrativa, mas também política, da qual Jackson saiu em 2002, para enfrentar o candidato dela a governador.
Substituto de Jackson, Tadeu Palácio manteve relação amistosa com José Reinaldo até este romper com o grupo Sarney. O prefeito também foi aliado de Jackson Lago no governo.

Terminal da Integração: obra exclusiva da prefeitura
Coube a Tadeu Palácio a conclusão do sistema de Integração do transporte, com a construção dos outros cinco terminais, e, principalmente, a modernização do sistema de limpeza urbana.
O prefeito João Castelo assumiu o mandato em 2008, um ano antes de Roseana retomar o governo, após cassação de Jackson.
A governadora e o prefeito chegaram a conversar sobre parceria, conversa esta sempre frustrada.
Sem relação com a prefeitura, Roseana iniciou a construção da Via Expressa, da Avenida do Quarto Centenário, a construção do Espigão e a urbanização da Península da Ponta D’Areia;  também iniciou a reorganização do sistema de abastecimento d’água e a implantação do moderno sistema de Saúde – todas obras ainda em andamento.

Via Expressa: símbolo do que pode ser a primeira parceria concreta em SL
Castelo, por sua vez, construiu a Avenida Mauro Bezerra, no Caratatiua  – iniciada e paralisada no governo José Reinaldo – recuperou a avenida Santos Dumont e a Estrada do Parque Vitória. Asfaltou a avenida Santo Antonio, no Calhau, e construiu uma parte do prolongamento da avenida Litorânea.
Também iniciou a construção dos canais do Coroado, do Cohatrac, do Rio Gangan e do Renascença, obras que precisarão ser refeitas pela gestão de Edivaldo Holanda Júnior (PTC).
Edivaldo e Roseana iniciam agora um ensaio de parceria, que pode se transformar num marco político na capital maranhense.
Muito já foi feito por São Luís, como mostra a listagem acima. Há muito por fazer.
Com dois agindo juntos, tudo fica mais fácil.

Fonte: Marco d"erça

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.