quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Fidelidade partidária: 1/3 dos deputados estaduais trocam de partidos

Apesar da Justiça Eleitoral ter tentado diminuir o troca-troca de partidos pelos políticos com uma legislação mais rígida, na Assembleia Legislativa a fidelidade partidária é algo que está distante de ser realidade.
Dos 42 deputados estaduais do Maranhão, um terço, ou seja, 14 parlamentares trocaram de legenda durante os respectivos mandatos. Tivemos casos em que deputados trocaram até duas vezes de partido em menos de três anos.
O Blog disponibiliza a relação dos deputados que trocaram de partidos durante a atual legislatura.
Raimundo Cutrim (eleito pelo DEM, depois seguiu para o PSD e atualmente está no PCdoB)
Afonso Manoel (eleito pelo PMDB, depois seguiu para o PSD e voltou para o PMDB)
André Fufuca (eleito pelo PSDB, depois seguiu para o PSD e atualmente está no PEN)
Camilo Figueiredo (eleito pelo PDT, depois seguiu para o PSD e atualmente está no PR)
Dr. Pádua (eleito pelo PP, depois seguiu para o PSD e atualmente está no PRB)
Alexandre Almeida (eleito pelo PTdoB, depois seguiu para o PSD e atualmente está no PTN)
Othelino Neto (“eleito” pelo PMN e atualmente está no PCdoB)
Graça Paz (eleita pelo PDT e atualmente está no PSL)
Carlos Filho (eleito pelo PV e atualmente está no PRTB)
Stênio Rezende (eleito pelo PMDB e agora seguiu para o PRP)
Rogério Cafeteira (eleito pelo PMN e atualmente está no PSC)
Hélio Soares (eleito pelo PP e atualmente está no PMDB)
Jota Pinto (eleito pelo PR e atualmente está no PEN)
Bira do Pindaré (eleito pelo PT e atualmente está no PSB)
Federal – Os representantes do Maranhão na Câmara Federal, ao contrário da Assembleia Legislativa, trocaram menos de partidos. Apenas três deputados, dos 18 que representam o Estado, trocaram de legendas, ou seja, menos de 20%.
A primeira a trocar de partido foi à deputada Nice Lobão, que se elegeu pelo DEM e trocou a legenda pelo PSD. Já mais recentemente, foi a vez dos deputados Domingos Dutra e Simplício Araújo deixarem o PT e o PPS, respectivamente, para se transferirem para o Solidariedade.
As mudanças demonstram claramente que ideologia partidária é algo cada vez mais raro na política.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gilberto agradece pela sua participação no Blog Voz da Raposa.